Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

VEJA Gente

Por Valmir Moratelli
Notícias sobre as pessoas mais influentes do mundo do entretenimento, das artes e dos negócios
Continua após publicidade

Regina Casé compara sua vilã em ‘Todas as Flores’ a bolsonaristas

Atriz falou com a coluna sobre nova personagem – loura, rica e má

Por Valmir Moratelli Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 28 out 2022, 07h04 - Publicado em 28 out 2022, 07h00

Regina Casé tem uma coleção de personagens humildes – empregada doméstica, babá, arrumadeira, diarista… Agora ela é milionária. E má. O desafio pode ser acompanhado no Globoplay, com Todas as Flores, trama de João Emanuel Carneiro. Em conversa com a coluna, a atriz repercute a declaração do ex-presidente Lula (PT), que citou o filme Que horas ela volta?, como exemplo do cenário educacional na época do seu governo.

A sua personagem seria eleitora do Bolsonaro? Eu gravei hoje num prédio, que pretensamente é dela, e realmente, olhando assim de fora… Acho que sim. Pelo lugar, o bairro da Barra da Tijuca (local que concentra muitos eleitores de Bolsonaro). Mas ela também tem uma origem muito humilde, que talvez leve ela para outra coisa.

Você tem uma série de personagens humildes. E agora uma milionária… Sim, verdade. Eu fiquei pensando, em quem que a Dona Lurdes (personagem em Amor de mãe) votaria, em quem que a Val (personagem de Que horas ela volta?) votaria… Em quem, todas essas personagens, uma pernambucana, outra baiana… Achei interessante que a vida tenha me colocado nesse caminho e agradeci.

Está ansiosa para domingo? Estou animada, apavorada, nervosa, ansiosa, acordando de noite, mas, como todos os brasileiros, eu acho. É uma decisão importante, a gente tem que manter a democracia antes de tudo, não estão em jogo candidatos, está em jogo a democracia.

Continua após a publicidade

Recentemente, Lula mencionou seu filme Que Horas Ela Volta?. O que você achou disso? O que ele falou é exatamente o que o filme diz, que a educação é a grande transformação social. No momento que a filha da empregada está competindo de igual para igual na faculdade com o filho da patroa, há uma transformação em curso. É isso que eu quero, é isso que a gente quer.

Gostou dessa lembrança do ex-presidente? É um trabalho que teve uma importância enorme, retratou um momento do Brasil com uma clareza, uma oportunidade de chegar ali naquele momento. Fiquei honrada com essa citação, porque houve alcance no mundo inteiro. Fiquei muito feliz em fazer a Val, uma babá, e a Dona Lourdes, uma empregada doméstica. E que até hoje tenha feito dezenas de mulheres brasileiras, que criam seus filhos sozinhas.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.