Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
VEJA Gente Por Valmir Moratelli Notícias sobre as pessoas mais influentes do mundo do entretenimento, das artes e dos negócios

Por que a irmã de Venus e Serena Williams odiou o filme de Will Smith

Pai das tenistas abandonou a mulher e os filhos antes de conhecer a mãe das atletas; isso o longa "King Richard", estrelado pelo ator americano, não mostra

Por Cleo Guimarães Atualizado em 24 nov 2021, 15h30 - Publicado em 24 nov 2021, 15h25

Apontado como um provável caminho de Will Smith rumo a mais uma indicação ao Oscar, o filme “King Richard – Criando Campeãs” vem sendo detonado por Sabrina Williams desde que estreou nos Estados Unidos, dias atrás. Irmã das tenistas Venus e Serena Williams, ela critica a forma romanceada como seu pai é retratado no longa.

Conhecido por ser o homem que planejou em detalhes a carreira das filhas nas quadras antes mesmo de elas nascerem, Richard Williams, hoje com 79 anos e saúde debilitada, é retratado como um pai durão, implacável e imprescindível na formação de Venus e Serena, duas das maiores atletas do esporte contemporâneo. Nada muito novo aí. O que irritou Sabrina foi o recorte do longa, que ignorou a vida pregressa e os aspectos pouco admiráveis da personalidade do biografado.

Segundo Sabrina, Richard abandonou sua mãe e seus quatro irmãos no início dos anos 1960 – ele teria saído de casa dizendo que iria comprar uma bicicleta e nunca mais voltou.  “É uma comédia, não? Como você pode fazer um filme contando metade da história?”, pergunta. “Tudo começa de repente, com o pai e sua nova esposa e suas crianças, como se nada tivesse acontecido antes”, reclama.

Richard se casou nos anos 80 com Oracene Price, com quem teve Serena e Venus, e dedicou sua vida a partir de então a transformar as filha em estrelas do tênis. Não por espirito esportivo, mas por ver potencial financeiro no futuro das duas nas quadras.

Isso fica claro em uma das cenas do longa, quando, ao perceber o talento das meninas em quadra, o treinador Rick Macci (Jon Bernthal) diz: “Acho que você pode ter o próximo Michael Jordan”. Richard então retruca, sem disfarçar a ambição: “Não, cara. Tenho os próximos dois”.

O nome do filme, “Rei Richard”, também deixou Sabrina extremamente irritada, a ponto de classificá-lo como “ultrajante”. “Meu pai não é o rei do mundo. Se você for analisar, ele viveu apenas através de duas de suas filhas, abandonando todos os seus outros filhos”. Dirigido por Reinaldo Marcus Green, protagonizado e coproduzido por Will Smith, “King Richard – Criando Campeãs” estreia no Brasil no início de dezembro.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês