Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

VEJA Gente Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Valmir Moratelli
Notícias sobre as pessoas mais influentes do mundo do entretenimento, das artes e dos negócios
Continua após publicidade

Diretor de filme sobre cannabis para Lula: ‘Quero ver se tem coragem’

Documentário 'A Planta', exibido no Festival Aruanda, de João Pessoa, retrata luta pelo uso medicinal da erva no Brasil

Por Valmir Moratelli Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 5 dez 2023, 16h01 - Publicado em 5 dez 2023, 07h01

No documentário A Planta, uma produção de baixo orçamento que fala sobre o uso da Cannabis sativa para fins medicinais, o diretor Beto Brant foca em contar histórias de pessoas que melhoraram sua qualidade de vida com o uso da planta. Ele entrevista pesquisadores de universidades em Minas Gerais, no Rio de Janeiro e São Paulo, além de retratar pessoas com Alzheimer ou variações de epilepsia que tiveram crises e problemas radicalmente reduzidos. Após a exibição do longa na tarde desta segunda-feira, 4, no Festival Aruanda, em João Pessoa, Beto falou com a imprensa.

“O filme acabou de ficar pronto. E eu queria muito vir a João Pessoa, agradeço o convite do festival, porque nós estamos aqui hoje com a presença do Cassiano. Ele fundou a maior associação cannábica do Brasil, que abre caminho para várias iniciativas em todo o país”, disse o diretor do documentário, referindo-se a Cassiano Teixeira, fundador da ABRACE — organização sem fins lucrativos com o objetivo não apenas de apoiar as famílias que precisam de  tratamento com a Cannabis medicinal, mas também de apoiar pesquisas sobre o uso da planta.

“Ver o cinema reverenciando um trabalho tão incrível, como que Beto fez… A gente fica muito feliz e esperançoso de que possa ter um futuro com mais saúde. Esse filme fala sobre isso, sobre a luta de pais para que seus filhos e parentes — no meu caso, a minha mãe — tenham acesso a cannabis medicinal. E de forma barata, de forma legal. Muitos de nós traficamos, eu era traficante internacional. Estamos lutando pelo acesso, inclusive pelo SUS”, declarou Cassiano. 

Beto ainda comentou sobre o desejo de exibir o filme ao presidente Lula (PT), no Palácio da Alvorada. “Talvez ela não seja medicamento, seja alimento. Já é possível substituir, por exemplo, o óleo de milho pelo de cannabis, há estudos sobre a produção de semente alimentícia. A semente em pó é rica em 25 aminoácidos. Alimento é o que faz você reagir a doenças, remédio é o alimento que falta ao corpo. Quero que Lula veja o filme, agora que reinaugurou o ‘cineminha’, quem sabe. Vamos fazer uma campanha, quero saber se ele tem coragem”, brincou.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.