Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Rio Grande do Sul Por Veja correspondentes Política, negócios, urbanismo e outros temas e personagens gaúchos. Por Paula Sperb, de Porto Alegre

MBL organiza ‘CarnaLula’ para torcer por condenação no TRF4

“Será um verdadeiro pré-carnaval”, afirma grupo na página do evento

Por Sperb Atualizado em 18 jan 2018, 13h43 - Publicado em 17 jan 2018, 15h30

O Movimento Brasil Livre (MBL) está organizando um evento comemorativo caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja condenado em segunda instância pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), no dia 24 de janeiro, em Porto Alegre. Chamado de “CarnaLula – Pela prisão do chefe do Petrolão”, o evento está marcado para iniciar às 18 horas, no Parcão, como é conhecido o Parque Moinhos de Vento, na capital gaúcha. O local foi palco de dezenas de manifestações a favor do impeachment de Dilma Rousseff, em 2016.

“Após o julgamento do maior criminoso da história do Brasil, o MBL convoca a população para uma comemoração pelo início da libertação do Brasil. A condenação de Lula marcará uma nova era em que a população construirá um país mais livre, digno e próspero. Será um verdadeiro pré-carnaval. Contamos com a presença de vocês!”, diz a descrição do evento na página do Facebook, que conta com 1.200 confirmações e 4.600 interessados.
Segundo Pedro Franco, do MBL gaúcho, alguns detalhes do evento ainda estão pendentes, mas o objetivo é “fazer barulho”.

Por causa dos diferentes atos, a segurança será reforçada na capital, com cavalaria e até helicóptero. “A operação é para garantir que o TRF4 e o MPF tenham condições de conduzir o julgamento. Também trabalhamos pensando na segurança da população e dos manifestantes, independentemente da posição política, garantindo que possam se manifestar de forma pacífica. Vamos trabalhar para que todos tenham seus direitos”, disse o coronel Mario Ikeda, subcomandante da Brigada Militar, em entrevista anterior a VEJA.

Na última terça, a defesa de Lula apresentou ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) documento que comprovaria que a empreiteira OAS seria a verdadeira proprietária do apartamento 164-A do Condomínio Solaris, conhecido como o tríplex do Guarujá. Lula recorre da condenação do juiz Sergio Moro, que entendeu que o apartamento seria uma propina da empresa ao ex-presidente em troca de vantagens. A sessão do julgamento do recurso de Lula na segunda instância está marcada para o dia 24 de janeiro, em Porto Alegre.

Grupos que apoiam o ex-presidente, ligados à Frente Brasil Popular (FBP) também estão se mobilizando com uma série de atos a partir da próxima segunda-feira 22, na capital gaúcha.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)