Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

O mico da mamona de Lula 5 – Usina de biodiesel substitui mamona por óleo de soja

No Estadão:Não há movimento de caminhões no pátio da usina de biodiesel da Brasil Ecodiesel, em Floriano. As evidências são de que a fábrica funciona em ritmo lento e a produção é mínima. Há denúncias na cidade de que a empresa começou a demitir parte dos funcionários. Essa usina de biodiesel foi montada para processar […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 19h10 - Publicado em 3 ago 2008, 08h47
No Estadão:
Não há movimento de caminhões no pátio da usina de biodiesel da Brasil Ecodiesel, em Floriano. As evidências são de que a fábrica funciona em ritmo lento e a produção é mínima. Há denúncias na cidade de que a empresa começou a demitir parte dos funcionários. Essa usina de biodiesel foi montada para processar a mamona produzida no projeto Santa Clara. O problema é que não há mamona suficiente para fazer a fábrica produzir – além disso, segundo a Agência Nacional do Petróleo (ANP), o biodiesel produzido apenas com mamona é muito viscoso e danifica os motores.
A empresa Brasil Ecodiesel admite que está produzindo biodiesel com óleo de soja. “O óleo de soja ainda representa mais de 90% dos óleos utilizados para a produção de biodiesel da Brasil Ecodiesel em suas unidades industriais”, diz comunicado da empresa enviado ao Estado. O comunicado é ambíguo, pois não especifica qual é a matéria-prima usada na produção do biodiesel na usina de Floriano. “A companhia pretende reduzir o percentual de utilização do óleo de soja na medida em que sua estratégia de originação (sic) agrícola seja expandida, elevando o percentual de utilização dos óleos de mamona, girassol e, no longo prazo, pinhão manso”, diz o comunicado.
Há um motivo para a fabricação do biodiesel da mamona por agricultores familiares. A produção de combustível de mamona ou de outras oleaginosas, no regime da agricultura familiar, concede ao empreendedor o “selo combustível social”, que dá direito a incentivos fiscais: isenção da contribuições para Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e para o Programa de Integração Social (PIS). Também dá direito a financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), do Banco do Nordeste (BnB) e do Banco da Amazônia (Basa) a juros mais baixos.
Assinante lê mais aqui

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês