Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Lula, aquele que se considera melhor do que Jesus Cristo

Como os institutos dizem que Lula é aprovado por quase 80% da população, fica difícil investigar qualquer hipótese que atribua ao próprio presidente algumas das dificuldades por que passa a sua candidata. Ontem, no Piauí, Lula pecou como presidente e como cristão. Na primeira condição, vociferou contra os adversários, usando o cargo para, de modo […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 13h56 - Publicado em 15 out 2010, 07h35

Como os institutos dizem que Lula é aprovado por quase 80% da população, fica difícil investigar qualquer hipótese que atribua ao próprio presidente algumas das dificuldades por que passa a sua candidata.

Ontem, no Piauí, Lula pecou como presidente e como cristão. Na primeira condição, vociferou contra os adversários, usando o cargo para, de modo oblíquo, fazer campanha. Como cristão, comparou-se a Jesus Cristo e, de fato, colocou-se um tanto acima do Nazareno. Deus jamais se vingou dos homens mesmo diante de suas iniqüidades. De certo modo, fez o contrário: Cristo foi imolado para nos salvar. Mas essa mística passa longe do bruto. Para Lula, seus adversários não foram eleitos no Piauí porque Deus decidiu se vingar. Vingar-se de quê? Ora, eles fizeram oposição a… Lula!

É o mesmo presidente que, com a sua candidata vencendo a disputa no primeiro turno — segundo os institutos nos quais o PT acreditava —, saiu dando pernada a três por quatro: contra a imprensa, contra a oposição, contra as elites, contra os fantasmas! José Serra, o adversário de Dilma, não era o digno representante da oposição, que legitima a democracia, mas o candidato “do contra”. Num dos palanques da vida, levou a sério o que escreveu aquele blogueiro pançudo do seu partido e se referiu com desdém aos ditos 4% dos eleitores — seria esse o tamanho dos que não seguiriam o seu comando. Lula já imaginava os seus pogroms morais contra essa minoria asquerosa.

Ontem à noite, Lula fez um comício em Ananindeua, no Pará. O destrambelhamento de sempre. Para ele, a “elite” transfere para Dilma o ódio que teria dele. Qual elite? O grande capital está fechadíssimo com a candidata do PT. Afirmou ainda que Ulysses Guimarães e Tancredo Neves teriam sido alvos desse mesmo sentimento. Nem diga! O PT não votou em Tancredo no Colégio Eleitoral, e Lula recusou o apoio de Ulysses no segundo turno, em 1989. Lula é também um fraudador da história.

Talvez esse jogo bruto esteja começando a cansar um pouco.  Mas vem ainda mais Lula na campanha. A tendência que ele ocupe cada vez mais tempo no horário eleitoral.  Afinal, que outro ativo tem Dilma Rousseff? Não sei quem vai ganhar a eleição. Mas sei bem o que seria o melhor para que ganhasse a civilidade.

PS -Informa a Folha Online sobre o comício no Pará:
O presidente cometeu diversas gafes que provocaram risos na platéia de milhares de pessoas. Entre elas, chamou o Pará de “Paraná”, o município de Rondon do Pará (PA) de “Redondo do Pará” e a governadora Ana Júlia Carepa (PT), que disputa a reeleição, de “governador”.

É bom a equipe palaciana levar um passarinho testador de água nesses deslocamentos de Lula. Quando ele sentir sede, tenta-se antes dar o líquido ao bichinho. E se decide: “Água que passarinho não bebe não deve ser dada ao presidente!”

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês