Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Reinaldo Azevedo

Por Blog
Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura
Continua após publicidade

Dilma e o plebiscito: Gilmar Mendes põe os pingos nos is

Quem tem menos de um terço na Câmara e no Senado teria três quintos para aprovar emenda constitucional? É ridículo!

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 30 jul 2020, 22h05 - Publicado em 16 ago 2016, 17h33

Bem, de vez em quando, é preciso que um ministro do Supremo coloque os pingos nos is, não é mesmo? Foi o que fez o ministro Gilmar Mendes — e, para não variar, com precisão.

Mendes criticou nesta terça a proposta da presidente afastada, Dilma Rousseff, de convocar um plebiscito sobre novas eleições. Segundo ele, a tese não passa de uma “brincadeira de criança”.

O ministro lembrou que “a questão do plebiscito teria que passar por uma emenda constitucional e teria que ter sua constitucionalidade verificada pelo próprio Supremo”.

Além disso, ele questionou se Dilma teria força para aprovar algo assim no Congresso: “A presidente Dilma, na Câmara, teve 140 votos. Se ela tivesse tido 171, teria impedido o impeachment. Ela vai agora conseguir três quintos para aprovar uma emenda constitucional na Câmara e depois no Senado? Respondam vocês mesmos”.

Bem, dizer o quê? As perguntas trazem um argumento irrespondível. Eu mesmo já tratei dessas questões aqui muitas vezes. É por isso que os petistas aos quais resta um tantinho de lucidez não dão a menor pelota para a proposta de Dilma.

Continua após a publicidade

A fala do ministro remete a um ponto relevantíssimo, que toca no centro do debate sobre o impeachment e seu duplo caráter: jurídico e político.

Ora, todos sabem que, para haver o impedimento de um presidente, a condição necessária é que haja o crime de responsabilidade. Mas ainda não se tem a condição suficiente. É preciso que a proposta passe pelo crivo político duas vezes: na Câmara e no Senado.

Ora, de um presidente, exige-se que tenha apenas um terço de cada uma das Casas. Ainda que os outros dois terços estejam contra ele. Não é fácil derrubar um chefe do Executivo. É preciso ser muito ruim para cair.

É esse o caso de Dilma! Ela não está sendo defenestrada apenas porque cometeu crime de responsabilidade. Ele não está sendo mandada pra casa apenas porque tem menos de um terço da Câmara e do Senado. Ela está sendo apeada do poder porque cometeu crime de responsabilidade E PORQUE tem hoje menos de um terço de cada Casa.

Continua após a publicidade

Assim, falar em plebiscito, que suporia uma emenda constitucional, é loucura. Mendes fala em “brincadeira de criança” porque é gentil.

Mais: duvido que a questão passasse no Supremo. Entre as cláusulas pétreas da Constituição, definidas no Artigo 60, está a periodicidade das eleições. Ela não pode ser mudada — não para atender a uma conveniência.

E para encerrar: ainda que Dilma voltasse e renunciasse com vistas a um plebiscito, seria preciso que Michel Temer fizesse o mesmo.

Pensando um pouco mais, a questão não é nem brincadeira de criança nem loucura. É apenas ridícula.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.