Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Os dados que justificam o ataque de Bolsonaro à vacinação de crianças

Pesquisa nacional mostra que maioria rejeita a ação predatória do Planalto contra a vacina, mas fatia que apoia é relevante em tempos eleitorais

Por Robson Bonin Atualizado em 13 jan 2022, 15h40 - Publicado em 14 jan 2022, 06h02

Levantamento nacional do Instituto Paraná Pesquisas mostra que a ação de Jair Bolsonaro para atrasar a vacinação de crianças contra o coronavírus é reprovada por 72,4% dos entrevistados. Para essa parcela, o boicote presidencial ao imunizante dos pequenos é considerado “um erro”.

Já a fatia de entrevistados que apoia a ação de Bolsonaro contra a vacina corresponde a 21,8% dos entrevistados. Uma margem alta e que fala mais alto na lógica eleitoral do Planalto. A parcela de entrevistados que não sabe ou não quis opinar é de 5,8%.

O Paraná Pesquisas ouviu 2.342 entrevistados de todas as unidades da federação entre os dias 8 e 10 de janeiro.

Publicidade