Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O próximo constrangimento na relação de Bolsonaro com STF

Corte já se preocupa com a conduta do presidente diante das regras de segurança sanitária impostas no tribunal

Por Robson Bonin Atualizado em 9 dez 2021, 11h40 - Publicado em 7 dez 2021, 06h02

Jair Bolsonaro terá, na próxima semana, mais um teste na sua aparente harmonia com o STF. A posse de André Mendonça na Corte ocorrerá sob regras rígidas de segurança por causa da pandemia.

Para entrar, o presidente, que esnoba a vacina, terá que adotar uma medida aplicada a todos os demais cidadãos do país: precisará fazer um teste PCR com até 72 horas da hora do evento. Se testar negativo, poderá passar.

Isso, claro, se Bolsonaro decidir seguir as regras do STF. Há uma preocupação entre servidores da Corte de que o presidente resolva fazer da sua participação na cerimônia mais um palanque negacionista para animar os radicais do bolsonarismo.

Se isso se confirmar, Bolsonaro aparecerá no Supremo sem estar vacinado e sem teste para confirmar que não está doente. Aí… O presidente entrará na Corte de todo jeito. Ninguém no tribunal irá barrar Bolsonaro, mas estará dado um grande constrangimento entre os ministros e o chefe do Planalto. Mais um, aliás.

Continua após a publicidade

Publicidade