Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Radar

Por Gustavo Maia (interino) Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Novo chefe da PRF cita Luther King e ‘véu da desconfiança’ ao tomar posse

Antônio Fernando de Oliveira tomou posse como diretor-geral da corporação nesta quarta ao lado de Flávio Dino

Por Lucas Vettorazzo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 8 fev 2023, 17h28 - Publicado em 8 fev 2023, 17h08

O novo diretor-geral da PRF, Antônio Fernando Oliveira, tomou posse nesta quarta-feira em Brasília e disse que “atos isolados” lançaram sobre a corporação “o véu da desconfiança” e macularam a sua “reputação lapidada ao longo de décadas”. Ele afirmou ainda que a PRF é um órgão de Estado e que não compactuará com “qualquer investida contra a democracia”.

Ao lado do ministro da Justiça, Flávio Dino, o novo comandante da PRF não citou nomes quando fez as críticas, mas referia-se à gestão anterior do bolsonarista Silvinei Vasques que é acusado de improbidade administrativa por usar o cargo em benefício da campanha de Jair Bolsonaro à Presidência.

Oliveira chegou a citar o trecho de uma frase do reverendo Martin Luther King para explicar a urgência da vida brasileira em meio às crises políticas. “Nos últimos anos, atos isolados, alguns abomináveis, lançaram sobre a PRF o véu da desconfiança. A reputação lapidada ao longo de décadas, de repente, se viu atingida e maculada. Por isso, relembrando Luther King, a Polícia Rodoviária Federal se defronta ‘com a feroz urgência do agora’. Precisamos fazer o que fazemos de melhor, e resgatar nossa essência de polícia cidadã. Porque cidadania é só outro nome para a democracia”, disse ele.

Oliveira ingressou na PRF nos anos 1990 e teve passagens pela Bahia e Maranhão, onde atuou ainda como colaborador de Dino enquanto o agora ministro de Lula foi deputado federal e depois governador do Estado. O novo diretor-geral classificou como “deploráveis” os ataques em Brasília no dia 8 de janeiro e pediu justiça a todos e paz na vida política brasileira.

“Hoje, 8 de fevereiro, um mês após um dos episódios mais deploráveis do Estado brasileiro, resta evidente que a defesa dos ideais republicanos não pode ser meramente retórica. Deve ser praticada diariamente em cada ação, gesto, palavra. Os valores genuínos da PRF, como educação, civilidade, respeito ao próximo são imprescindíveis para a nação. A Polícia Rodoviária Federal, como órgão de Estado, não tem partido e não irá pactuar com qualquer investida contra a democracia. Que haja justiça para todos. Que haja paz para os brasileiros”.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.