Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Novo chanceler não deve fazer mudanças profundas no Itamaraty

Substituto de Ernesto Araújo, Carlos França deve fazer mudanças pontuais na cúpula do MRE

Por Mariana Muniz Atualizado em 30 mar 2021, 11h56 - Publicado em 30 mar 2021, 12h28

Substituto de Ernesto Araújo no comando do Itamaraty, o embaixador Carlos França não deve fazer grandes movimentações de pessoal — pelo menos não imediatamente.

Interlocutores da diplomacia ouvidos pelo Radar apostam que a cúpula do Ministério das Relações Exteriores deve sofrer apenas alterações pontuais.

Já no gabinete do ministro, como é praxe, o que se espera é que haja uma dança das cadeiras maior, mas nada ainda foi definido. O silêncio, aliás, gera grandes expectativas.

Ainda não há definição também sobre o destino de Ernesto Araújo, que deixa o posto de chanceler após grande pressão do Congresso e do Centrão.

Fala-se em colocá-lo em um consulado importante, como o de Washington, ou em algum organismo internacional de peso, como a FAO, sediada em Roma. Um belíssimo prêmio de consolação, que não precisa do aval do Senado.

Continua após a publicidade

Publicidade