Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Lembra-se da Erenice?

Na sexta-feira, a carta de demissão de Erenice Guerra completará um ano de idade. Entregue a Lula após VEJA revelar os negócios obscuros de seus filhos no governo, o documento é ainda hoje a maior derrota de Erenice.   Em todo o resto, segue tranquila a vida dos envolvidos no caso, pelo menos no que […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 10h47 - Publicado em 14 set 2011, 07h03

Na sexta-feira, a carta de demissão de Erenice Guerra completará um ano de idade. Entregue a Lula após VEJA revelar os negócios obscuros de seus filhos no governo, o documento é ainda hoje a maior derrota de Erenice.
 
Em todo o resto, segue tranquila a vida dos envolvidos no caso, pelo menos no que diz respeito à investigação da Polícia Federal. Para se ter uma ideia, desde maio, quando obteve acesso ao sigilo bancário dos envolvidos, a PF aguarda que quatro bancos enviem ao órgão os relatórios das movimentações bancárias.
 
Sem esses dados, o trabalho não avança e fica cada vez mais distante uma eventual punição dos envolvidos no escândalo de tráfico de influência na Casa Civil.
 
A evolução das investigações é tão lenta que a PF pediu a quebra de sigilo em novembro de 2010, obteve autorização da Justiça em maio de 2011 e até agora não conseguiu receber os papéis.

Publicidade