Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Governo lança plataforma de transparência ambiental mas deixa Inpe de fora

Já é a segunda vez em menos de uma semana que órgão responsável por monitoramento de dados ambientais é relegado em iniciativas do governo

Por Laísa Dall'Agnol Atualizado em 15 jun 2022, 09h44 - Publicado em 15 jun 2022, 06h01

O governo Bolsonaro lança nesta quarta-feira, por meio do Ibama, uma plataforma de análise de monitoramento geoespacial para integrar informações ambientais.

Chamada de ‘Projeto Pamgia’, a iniciativa pretende unir dados da Amazônia e demais biomas a fim de “trazer mais celeridade ao processo ecossistêmico e transparência para a sociedade”. A plataforma será viabilizada pela Imagem Geosistemas.

De acordo com o instituto, as informações serão usadas para subsidiar ações de planejamento, prevenção e combate a crimes ambientais.

A nova empreitada, no entanto, não tem a participação do Inpe — o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais –, que tem como atribuições principais justamente as áreas pretendidas pelo Pamgia: sensoriamento remoto, processamento de imagens digitais e desenvolvimento de pesquisas ambientais.

Na última semana, outra iniciativa também na área ambiental deixou o Inpe de fora. O governo federal criou uma Câmara Consultiva Temáticapara qualificar os dados de desmatamento e incêndios florestais” com representantes apenas dos ministérios do Meio Ambiente, Agricultura, Economia, Defesa e Justiça.

O atual diretor do instituto, Clézio de Nardin, enviou um ofício ao governo questionando a exclusão, afirmando entender ser “pertinente” a participação dos pesquisadores na análise dos dados produzida por eles.

Não é a primeira vez no governo Bolsonaro que o Inpe é alvo de ataques. Em 2019, Ricardo Galvão foi exonerado do comando do órgão por divulgar dados de desmatamento.

Não é de se estranhar, portanto, que dados “negativos” sobre o avanço do desmatamento, por exemplo, sejam vistos como um incômodo para o governo federal, sobretudo em ano de eleições.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)