Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Filme pré-indicado ao Oscar vira plataforma de reflexão nas escolas

'Cabeça de Nego', um dos 15 pré-indicados a representar o Brasil na grande premiação do cinema

Por Robson Bonin Atualizado em 6 dez 2021, 11h01 - Publicado em 6 dez 2021, 18h29

A equipe de distribuição de Cabeça de Nego — filme cearense que fala de racismo e é um dos 15 pré-indicados a representar o Brasil no Oscar –, desde a concepção das estratégias de distribuição do filme, sempre teve o desejo de levá-lo ao ambiente escolar e espaços além das salas de cinema. Entre os objetivos estavam o de que a obra pudesse ser vista por alunas, alunos, professores e agentes da educação, como instrumento pedagógico e de reflexão.

É a partir desta vontade que nasceu a Chuvisco, projeto realizado pela Corte Seco Filmes, Fistaile e Semente – Escola de Educação Audiovisual; e selecionada e promovida pelo Göteborg Film Fund 2021, na linha de Distribuição Inovadora.

O objetivo é realizar exibições do filme, fortalecendo a democratização do acesso à obra e ampliando o alcance do filme. “A essência do filme Cabeça de Nego é construir uma narrativa que refletisse a condição dos povos oprimidos, sobretudo a juventude afro-indígena das periferias, e de levar essa reflexão para fora da tela, para as comunidades em questão. Nesse sentido, a Rede Chuvisco vem sendo o principal vetor entre o filme (e os debates que ele suscita) e a população representada no filme. Uma população geralmente oprimida e excluída dos espaços de lazer privados” diz o diretor, Déo Cardoso.

Continua após a publicidade

Publicidade