Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Fábio Faria diz que não será candidato e voltará para a iniciativa privada

O ministro das Comunicações disse que abriu mão de disputar o Senado pelo Rio Grande do Norte em nome de Rogério Marinho, do Desenvolvimento Regional

Por Gustavo Maia 22 fev 2022, 16h37

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, anunciou há pouco, em entrevista coletiva no Palácio do Planalto, que abriu mão de disputar o Senado pelo Rio Grande do Norte em nome de Rogério Marinho, ministro do Desenvolvimento Regional, e que vai ficar no governo Bolsonaro para concluir sua “missão”. Ele afirmou ainda que, depois, pretende voltar para a iniciativa privada, para ficar mais perto da família.

“Eu ficava muito preocupado em sair do ministério em março e não entregar o 5G funcionando nas 27 capitais […] “Eu estava muito desconfortável e eu acho que era uma atitude, se eu fosse candidato e saísse antes, eu estaria pensando só em mim. Eu não estava satisfeito com essa minha decisão”, justificou Faria.

Na semana passada, o Radar revelou que o presidente Jair Bolsonaro arbitrou a disputa particular entre os dois ministros e decidiu em nome de Marinho, o que Faria negou nesta terça-feira.

“Então, com um tempo, eu tirei um tempo de férias e pensei, junto com a minha família, até porque esses dois últimos anos foram anos intensos de trabalho, e eu tomei essa decisão. Estou muito tranquilo, é uma decisão tomada com muito tempo pensando. Quero deixar claro, agradecer, que em nenhum momento o presidente Bolsonaro interveio nesse decisão. Todas as vezes que a gente conversou com ele, ele disse ‘vocês dois têm que se decidir'”, declarou.

O chefe das Comunicações, que deverá integrar a coordenação da campanha à reeleição de Bolsonaro, aproveitou a ocasião para fazer elogios a Marinho e disse que pretende voltar a iniciativa privada.

“[Quero] ficar mais perto dos meus filhos, que eu fiquei muito distante esses dois anos, pra que eu possa acompanhar aí o crescimento deles, que quando a gente pisca o olho e olha eles já estão maiores que a gente. Então essa é a minha decisão, e estou aqui comunicando a vocês que eu vou concluir a missão, e só sairei do ministério após entregar o 5G funcionando nas 27 capitais, e que a gente possa realmente colocar o Brasil na economia digital”, comentou.

Questionado se poderia continuar no cargo em um eventual segundo mandato de Bolsonaro, Faria disse que que já terá cumprido a missão dele.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)