Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Deputado bolsonarista questiona membros de GT contra discurso de ódio

Tenente-coronel Zucco pediu informações ao ministro Silvio Almeida sobre critérios para indicação de integrantes do grupo como Manuela D'Ávila e Felipe Neto

Por Gustavo Maia Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
23 fev 2023, 15h30

O deputado federal bolsonarista Tenente-coronel Zucco (Republicanos-RS) protocolou nesta quinta-feira um requerimento de informação dirigido ao ministro dos Direitos Humanos e da Cidadania, Silvio Almeida, para questionar quais foram os critérios utilizados por ele para indicar os membros do grupo de trabalho de combate ao discurso de ódio e ao extremismo, criado pela pasta nesta quarta.

O GT será presidido pela ex-deputada federal gaúcha Manuela D’Ávila (PCdoB) e terá entre seus integrantes o youtuber e influenciador Felipe Neto.

O parlamentar questionou o ministro se “foi feito algum levantamento da postura adotada nas redes sociais pelos escolhidos” e justificou o requerimento alegando que “causa espanto” o fato de o governo federal criar um grupo de trabalho” para averiguação de tal teor e o mesmo ser composto apenas por pessoas que possuem o mesmo posicionamento político”.

Ele apontou que manifestação política de Manuela D’Ávila, candidata a vice-presidente na chapa de Fernando Haddad (PT) em 2018, “sempre foi claramente divulgada”.

Continua após a publicidade

“Pior ainda, pessoas que já promoveram discursos de ódio pavorosos nas redes sociais, a exemplo do youtuber Felipe Neto, que já incentivou vários ataques ao ex-presidente, Senhor Jair Messias Bolsonaro, foi designado como representante da sociedade civil para composição do grupo de trabalho. Aí surge o questionamento: afinal,  xingamentos e imputações de crimes bárbaros como genocídio não serão considerados discurso de ódio por este grupo de trabalho?”, questionou Zucco.

O deputado ressaltou ainda que uma estrutura administrativa não pode “ser apenas um meio utilizado para polarização política e promoção de políticas públicas que atendam apenas a um setor específico”.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.