Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Radar

Por Gustavo Maia (interino) Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Bolsonaro diz que vai dar a Zelensky solução para o fim da guerra

Presidente brasileiro disse que o conflito pode repetir exemplo da Guerra das Malvinas, na qual os argentinos terminaram massacrados pelos britânicos

Por Lucas Vettorazzo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 14 jul 2022, 18h39 - Publicado em 14 jul 2022, 13h06

Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira que na conversa que terá com o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, no próximo dia 18, dará uma sugestão para a solução da guerra com a Rússia, que se arrasta por quase cinco meses.

Ele não disse textualmente, mas deu a entender que o ideal seria que a Ucrânia se submetesse à Rússia e negociasse um cessar fogo para o conflito. O presidente brasileiro insinuou que havia o risco de a história repetir o exemplo da guerra do Reino Unido contra a Argentina, em 1982, pelo controle das Ilhas Malvinas (ou Falklands), arquipélago a 500 km da costa argentina.

O conflito durou dois meses e terminou com as tropas argentinas, governadas à época por uma ditadura militar, massacradas em um cerco à cidade de Port Stanley, o que levou o país latino à rendição. Até hoje a Argentina não tem o controle do território que reivindica como seu por direito.

“Vou dar a minha opinião a ele sobre o que eu acho. A solução para o caso (guerra). Eu sei como seria a solução do caso, mas não vou adiantar. A solução do caso… Como acabou a guerra da Argentina com o Reino Unido em 1982? É por aí. A gente lamenta. A verdade é algo que dói, machuca, mas você tem que entender. Foi ele (Zelensky) quem buscou a conversa conosco. Eu disse de imediato que conversaria com ele, sim. Ele tem um país grande para administrar. Tudo o que foi acordado com o presidente (Vladimir) Putin está sendo cumprido. Da minha parte e da parte dele. Vou conversar bastante com ele (Zelensky). É uma liderança e vou dar minha opinião para ele. Essa guerra tem causado transtorno não só para o Brasil. Para o Brasil menos. É muito mais para a Europa”, disse em entrevista concedida à CNN Brasil em Imperatriz (MA).

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.