Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Alvaro Dias diz que nova proposta eleitoral é golpe em Sergio Moro

Projeto tenta ‘eliminar sorrateiramente’ adversários das eleições, afirma ele

Por Lucas Vettorazzo Atualizado em 25 ago 2021, 16h19 - Publicado em 25 ago 2021, 16h17

Líder do Podemos no Senado, o senador Alvaro Dias criticou nesta quarta-feira a inclusão, no projeto de reforma eleitoral em debate na Câmara dos Deputados, de um artigo que prevê quarentena de cinco anos para candidaturas à eleição de juízes e promotores. 

Dias é um dos caciques do Podemos que negocia a ida do ex-juiz federal Sergio Moro ao partido para disputar a eleição para a presidência da República no ano que vem. 

Caso a proposta seja aprovada e possa valer para as próximas eleições, Moro, que deixou o cargo em 2018, não poderia concorrer em razão do prazo mínimo estipulado na legislação. 

Dias criticou outros pontos da reforma em discussão e acusou os deputados de incluírem a proposta com o único objetivo de prejudicar o futuro político de Moro e suas pretensões eleitorais para 2022. 

Segundo o senador, o Podemos lutará pela não aprovação da proposta “casuística” e que “tenta eliminar sorrateiramente adversários eleitorais na disputa”. 

“Enquanto enfraquece a lei da ficha limpa e briga para aumentar o fundão eleitoral, a Câmara tenta impedir, a toque de caixa, candidaturas de juízes e promotores”, disse Dias. 

“A tentativa de retroagir a lei tem como único objetivo atingir o ex-juiz Sergio Moro, cuja candidatura não passa, por enquanto, de um desejo de partidos políticos, como o Podemos”.

Continua após a publicidade

Publicidade