Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Radar

Por Gustavo Maia (interino) Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Acatar o resultado das eleições é ‘inegociável’, diz Fachin

O presidente discursou durante evento realizado em Pernambuco nesta sexta-feira

Por Gustavo Maia Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 27 Maio 2022, 18h31 - Publicado em 27 Maio 2022, 17h38

O presidente do TSE, Luis Edson Fachin, afirmou em um discurso nesta sexta que acatar o resultado das eleições é “expressão inegociável da democracia”. Para bom entendedor, o ministro nem precisou citar o nome do presidente Jair Bolsonaro, que faz ataques frequentes à Justiça Eleitoral.

Fachin participou do 1º Encontro do Ciclo de Estudos Mulheres e Política, em Pernambuco, promovido pelo TRE-PE e outros órgãos judiciais do estado.

Logo no início da sua fala, o ministro disse que “vivemos um presente interrogante” e citou a “nítida premissa” de que a “real democracia pressupõe paz e representatividade”. Na sequência, citou palavras da escritora francesa Simone de Beauvoir: “Não ignoro as ameaças que o futuro encerra, como também não ignoro que é o meu passado que define a minha abertura para o futuro”.

Depois de falar sobre a participação da mulher na política e apontar dados eleitorais dos últimos anos, Fachin reforçou que o lema da sua gestão tem sido “paz e segurança nas eleições de 2022” e declarou:

“O Brasil tem eleições limpas, seguras e auditáveis. O acatamento do resultado do exercício da soberania popular é expressão inegociável da democracia pelo respeito ao sufrágio universal e ao voto secreto”.

Continua após a publicidade

E acrescentou:

“A defesa da democracia propõe serenidade, segurança e ordem para desarmar os espíritos. Prega o diálogo, a tolerância e a obediência à legalidade constitucional. E, por isso, enfrenta a desinformação com dados e com informação correta. A Justiça Eleitoral conclama para a paz”.

Para concluir, o ministro elencou quatro ações imprescindíveis: a obediência irrestrita às normas eleitorais e à legalidade constitucional; a atuação institucional harmônica, nos limites da Constituição, para mitigar os riscos ao estado democrático de direito e à integridade do processo eleitoral; a assunção de compromissos expressos com a democracia e com as eleições como forma pacífica de resolução de dissensos na sociedade; o respeito ao resultado das eleições e à soberania popular manifestada nas urnas.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.