Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Por Trás dos Números Por Renato Meirelles Renato Meirelles é pai da Helena, acredita que a Terra é redonda, está à frente do Instituto Locomotiva e, neste espaço, interpreta os números muito além da planilha Excel

O prato feito de Bolsonaro

O cardápio servido pelo governo anda escasso e salgado para boa parte dos brasileiros

Por Renato Meirelles 21 jun 2022, 12h07

“Eleição para presidente é que nem self service: não adianta pedir camarão se não tem camarão; cordeiro, se não tem cordeiro. É o que tem na mesa. Em estando na mesa, você vai ter de escolher o melhor ou o menos pior. E assim foi feito em 2018: eu ganhei.”

O presidente Bolsonaro não é de frases buriladas, mas não se pode dizer que não contenham sabedoria. Essa aí de cima ele soltou há pouco, falando a uma plateia de empresários. Deixando de lado o evidente caráter autodepreciativo da sentença e pegando carona somente na imagem escolhida, dá pra dizer que o prato feito servido até agora pelo presidente aos brasileiros anda indigesto – ou vazio, dependendo da posição do comensal na pirâmide social.

Segundo pesquisa encomendada pelo BGT Pactual à FSB, 55% da população deixou de comprar carne vermelha, 13% riscaram arroz e feijão do cardápio e 33% abriram mão de frutas, verduras e legumes. A razão, como sabemos, são os preços pra lá de salgados.

A inflação está disseminada em praticamente todos os segmentos de produtos e serviços. Mas a dos alimentos, que chegou a 3,38% em abril de acordo com o IPC/Fipe, vem escalando e tem um impacto muito mais intenso nos estratos mais populares. O presidente já se queixou que o Auxílio Brasil não teve o efeito que esperava: alavancar sua popularidade entre os mais pobres.

Olhando para a mesa desse brasileiro, ele talvez encontrasse a explicação no vazio reinante. O voto dessa gente é quase uma vingança, um prato que se come frio.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)