Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
O Som e a Fúria Pop, rock, jazz, black music ou MPB: tudo o que for notícia no mundo da música está na mira deste blog, para o bem ou para o mal

O sinistro instrumento soviético que caiu nas graças do rock

Inventado há mais de 100 anos, o teremin já foi usado por bandas como Led Zeppelin e Rolling Stones e seu som é produzido por duas antenas de metal

Por Felipe Branco Cruz 9 Maio 2022, 12h29

Quando um dos clássicos do Led Zeppelin, Whole Lotta Love, foi lançado, em 1969, os fãs foram pegos de surpresa ao ouvirem durante o solo de Jimmy Page algumas notas agudas aparentemente impossíveis de serem reproduzidas, mesmo pelas habilidosas mãos do guitarrista. Os sons desconexos, no entanto, combinavam perfeitamente com os gritos e gemidos de Robert Plant e criavam o ar fantasmagórico ideal que a música pedia. O mistério só foi desvendado alguns meses depois, quando a banda finalmente se apresentou ao vivo e, em meio a efeitos de fumaça e luzes, Page revelou que o som vinha de um objeto com duas antenas que captavam o movimento de suas mãos sem ser preciso tocar o aparelho fisicamente. Era o teremin.

Inventado em 1920 pelo russo Lev Sergeevich Termen, o teremin foi um dos primeiros instrumentos eletrônicos criados e, mesmo depois de 102 anos de sua invenção, ele ainda é bastante desconhecido para muita gente. Em 1938, Termen voltou para a União Soviética em circunstâncias até hoje suspeitas e o instrumento caiu em desuso. Apresentado por seu inventor em um tour pela Europa anos antes, o instrumento foi patenteado nos Estados Unidos, mas não chamou a atenção de quase ninguém. O funcionamento, no entanto, é relativamente simples. Basicamente são duas antenas que captam o movimento das mãos. Uma das antenas determina a frequência e outra a amplitude do som. Basta o músico aproximar ou afastar as mãos das antenas, e pronto.

Nos anos 1960, no auge da Guerra Fria, o teremin foi redescoberto pelo Ocidente, especialmente após o uso dele pelo Led Zeppelin. Desde então, o instrumento passou a ser usado para a produção de sons mais sinistros ou assustadores. Nos dias atuais, o músico Jack White se tornou um dos maiores entusiastas do aparelho. Ele o usou na música Little People, da sua antiga banda White Stripes, e também em seu mais recente lançamento solo, a música Fear of The Dawn.

Continua após a publicidade

Dentre as outras bandas que também já usaram o instrumento, estão nomes como Garbage, na música Cup of Coffee, o Rush, em BU2B, e até os Rolling Stones, em 2000 Years From Home. No Brasil, os mineiros do Pato Fu também usaram o instrumento, na música Eu. Já a banda americana de surf-music Man or Astroman destrói o instrumento em seus shows ao vivo após um “duelo” com uma bobina de tesla.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês