Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Noblat Por Coluna O primeiro blog brasileiro com notícias e comentários diários sobre o que acontece na política. No ar desde 2004. Por Ricardo Noblat. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O retrovisor e a luneta

O retrovisor me levou à década de 50. Para frente, minha luneta enxerga a esperança

Por Gustavo Krause 7 jan 2018, 12h00

0607

Nesta época do ano, não adianta evitar o impacto da dimensão temporal da existência, segundo a qual a vida só pode ser compreendida, olhando-se para trás; mas, só pode ser vivida, olhando-se para frente com atenção plena para momento presente que acende e apaga instantaneamente.

Com efeito, o retrovisor me levou à década de 50, na sabatina sobre religião no preparatório de admissão (espécie de vestibular para ingresso no curso ginasial), do Externato São Luís de Gonzaga, sob a batuta de Dona Francisquinha, exigente professora e doce criatura.

– Zé Maria (nome fictício), pergunta fácil: como morreu Jesus Cristo nosso Salvador? Zé Maria era vítima da crueldade dos colegas, o tal do bullying, pela distração e suposta dificuldade de aprendizado. Nervoso, hesitante, demorou segundos para responder, quando um gaiato da turma soprou: – Na cama, com padre Pita (Pároco da Matriz) dando a extrema-unção – o que foi repetido automaticamente. Uma zorra! Ambiente incompatível com a disciplina rigorosa do tempo da “palmatória pedagógica”. Os olhos marejados de Zé Maria deram de cara com a face crispada de contrariedade da querida professora. Silêncio trovejante de um mudo “tamos lascados”.

Surpresa! A Mestra, suavemente, deu inesquecível e emocionante lição sobre os valores do respeito, da solidariedade e de amor ao próximo. Antes, o ardor da palmatória nas nossas mãos. Dali, cada um tomou seu rumo, embora, o caminho desejado pelo orgulho familiar fosse a conquista de um canudo de doutor em Direito, Medicina ou Engenharia.

Zé Maria trabalhava na mercearia do pai. Desde cedo, demonstrava pendores para a arte de comerciar, produzir e empreender. Concluiu o curso médio de contabilidade e ganhou o mundo. Embrenhou-se na conquista do centro-oeste e, hoje, é um rico produtor da soja, “inteligente e competitiva”, gestada pela EMBRAPA, a incubadora do agronegócio brasileiro que produziu este ano mais de 240 milhões de toneladas de grãos.

Ora, o complexo conceito de inteligência se manifesta na faculdade de entendimento das ideias e/ou na destreza ou habilidade corporal ou verbal (a primeira dianoia e a segunda sophia para os gregos) sendo a última, a sabedoria, a ação que transforma o mundo real.

Para frente, minha luneta enxerga a esperança de que a educação brasileira, a partir das propostas estruturantes da gestão do Ministro Mendonça Filho (a exemplo da BNCC), ofereça oportunidades de desenvolver as potencialidades dos jovens brasileiros.

Gustavo Krause é ex-ministro da Fazenda do governo Itamar Franco

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)