Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Modo Avião Por Tatiana Cunha As dicas certeiras de turismo e os lugares incríveis do planeta para você planejar sua próxima viagem

15 maneiras de ser sem noção no avião

Vamos combinar que viajar de econômica não é fácil pra ninguém. Se você tem mais de 1,60 m, pesa mais de 60 kg ou já passou dos 20 anos, pior ainda. Se está fazendo um voo longo então, nem se fala… Mas não tem jeito… Quantos de nós, pobres mortais, podem bancar uma passagem de […]

Por Tatiana Cunha Atualizado em 30 jul 2020, 21h14 - Publicado em 28 nov 2016, 16h13

passenger

Vamos combinar que viajar de econômica não é fácil pra ninguém. Se você tem mais de 1,60 m, pesa mais de 60 kg ou já passou dos 20 anos, pior ainda. Se está fazendo um voo longo então, nem se fala…

Mas não tem jeito… Quantos de nós, pobres mortais, podem bancar uma passagem de executiva?

Eu não posso :( Então ou é fazer promessa pra ganhar aquele upgrade milagroso na hora do embarque ou conformar-se e encarar as longas horas de viagem como uma sardinha enlatada.

Maaaaas, como se não bastasse a falta de espaço, a comida geralmente de gosto duvidoso e a dificuldade em dormir, vira e mexe a gente se depara com aquele sujeito sem noção que só piora a situação.

Quem nunca levou uma “poltronada” enquanto se abaixava para pegar alguma coisa? Ou que estava tentando dormir ou ver um filme e a pessoa do lado não parava de puxar assunto? Ou que se sentou ao lado de alguém com o desodorante vencido? Já passei por cada uma…

Lembro de um grupo de russos que abriu sei lá quantas garrafas de vodka compradas no Duty Free e terminou vomitando no corredor. Já tive uma briga homérica com o passageiro de trás porque ele não queria que eu reclinasse o banco durante o voo inteiro. Já levei “malada” na cabeça porque a pessoa tinha 300 malas e sacolas pra colocar no compartimento de bagagem e obviamente não tinha espaço. Teve uma vez que tomei um banho de café fervendo porque a pessoa da minha frente reclinou o banco bruscamente no meio do café da manhã…

Ih, podia passar dias aqui contando meus infortúnios viajando de econômica. Mas, ao invés disso, vou fazer um manual de dicas para ver se os sem noção se identificam neste post e quem sabe se comportam melhor da próxima vez que entrarem num avião.

Se você já passou por uma dessas situações levanta a mão!! Ou comenta aí 😉

 Tourists sit on a seat in an airplane

1. Exagerar nas malas de mão

Todo mundo está cansado de saber que a gente só tem direito a embarcar com uma mala de mão e uma bolsa/mochila quando viaja de econômica. Mas tem gente que só falta levar o papagaio no ombro. São malas e malas gigantes, sacolas, bolsas, brinquedos, caixas… E aí na hora de colocar tudo no compartimento de bagagem é aquela guerra. Porque obviamente não cabe tudo. Aí a pessoa começa a invadir o espaço dos outros e já viu, né? Eu sempre viajo com o mínimo possível porque não quero ficar brigando por espaço com ninguém (mas confesso que tenho um certo prazer bizarro em assistir às pessoas sofrendo ao tentar fazer caber tudo nos compartimentos).

2. Levantar como se estivesse na poltrona de casa

Eu entendo que ficar 11 horas sentado numa cadeira de avião não é nada confortável e todo mundo tem suas necessidades básicas a fazer. Mas se você não está na poltrona do corredor, tente limitar o números de vezes que você levanta. Tem coisa mais desagradável que estar dormindo e seu vizinho começar a te cutucar pra levantar a cada meia hora? Como eu prefiro não levantar durante o voo do que ter que ficar dando passagem o tempo todo minha regra é: janela sempre.

 3. Abrir a janela quando as pessoas ainda estão dormindo

Ainda falta mais de uma hora para o café da manhã ser servido e você está (finalmente) naquele soninho bom quando o sujeito sentado na janela abre violentamente a persiana. Os raios de sol não só te acordam de sopetão como ainda te cegam. Ah… a falta de noção! Se as luzes da cabine ainda não foram acesas, respeite o sono alheio e use a luz do seu assento ou abra só um fiozinho da persiana.

Air France Jet airplanes interior view.

4. Reclinar a poltrona sem olhar para trás

Já contei do meu banho de café. Mas também já levei “poltronada”na cabeça, já fiquei com o joelho roxo… Duas regrinhas básicas evitariam este tipo de coisa. 1. Olhar para trás antes de reclinar sua poltrona. 2. Não a reclinar com violência. Não é difícil… Fora os sem noção que não levantam o assento na hora das refeições. Como isso me irrita. Mas ou eu peço para a pessoa levantar ou peço ao comissário para pedir. Além de não atrapalhar quem está atrás (sim, tem mais gente no avião!!), ainda fica mais confortável para comer.

5. Aplaudir o pouso

Você aplaude o moço da padaria quando ele coloca os pães no saquinho? E o taxista quando te deixa em casa? Aplaude o carteiro quando ele te entrega a correspondência? Então por que cargas d’água deveria aplaudir o comandante quando ele pousa o avião? Me chamem de ranzinza, de chata, do que for, mas juro que eu tenho vontade de me esconder embaixo do assento quando começam a aplaudir o pouso. Vamos evitar? Obrigada.

6. Ser grosseiro com os comissários

É impressionante como ainda tem gente não só sem noção como também sem educação. Como me irrita ver as pessoas tratando os comissários de bordo como se eles fossem escravos ao seu dispor e ali apenas para servi-los como se eles fossem reis. Não custa nada dizer por favor, obrigada, dar um sorriso. Os comissários estão ali trabalhando, na maioria das vezes por longas horas, e têm muitas outras coisas a fazer que não são apenas servir mais bebida aos passageiros. Um pouco de gentileza não faz mal a ninguém #ficaadica

Continua após a publicidade

baby

7. Deixar as crianças livres como se estivessem em casa

Viajar com criança não é fácil, eu entendo. Se for uma viagem de avião e longa, então, pior ainda. Mas os outros passageiros que estão a bordo não são obrigados a passar 11 horas ouvindo o filho de ninguém chorar, gritar e correr pelos corredores do avião como se estivesse na sala de estar de casa. Ou ficar chutando o encosto da poltrona à frente como se estivesse na escolinha de futebol. O pior é que muitas vezes a gente vê isso e os pais simplesmente fingem que não é com eles. Mas de nada adianta descontar sua fúria nas crianças. A dica é pedir para os pais, com gentileza, para que controlem seus filhos. Se ainda assim não adiantar, fale com um dos comissários.

8. Beber sem limites

Depois da minha experiência traumática com o grupo de russos bêbados, tenho pavor de passar por algo parecido outra vez num avião (ai que nojo, eles estavam sentados atrás de mim e só não vou dar mais detalhes porque ninguém merece…). Tomar uma garrafinha de vinho, um drinque ou uma cerveja ok, ajuda a relaxar, dá sono, mas avião não é open bar, né? Então que tal segurar um pouco a bebida e esperar chegar no seu destino para tomar umas e outras. Fora que não é recomendado ingerir muito álcool no avião porque ele ajuda a desidratar. Ou seja, troque a água que passarinho não bebe por água normal 😉

9. Pegar os apoios de braço ignorando os vizinhos

Quem nunca travou aquela disputa velada durante o voo, cotovelo a cotovelo, para ver quem ganhava o direito de ficar com o apoio de braço? Ou quem nunca teve de passar horas a fio com os braços cruzados porque seus vizinhos de poltrona simplesmente pegaram os apoios de braço e ignoraram sua presença? Este é um dos pontos que mais causa confusão entre passageiros. Para evitar isso, basta usar o bom senso. Se a pessoa está na janela ou no corredor, que são lugares mais confortáveis, deveria dar prioridade a quem está no banco do meio para usar os apoios de braço. Ou, na pior das hipóteses, tentar “dividir” o apoio. Eu, como odeio confusão e geralmente estou sentada na janela, me contento com um apoio de braço só e deixo meu vizinho satisfeito com dois só pra ele. Tenho um amigo que é ainda mais “generoso” do que eu. Para evitar disputa e contato desnecessário com o passageiro ao lado, ele coloca uma revista entre os assentos, hahaha.

 

plane0

10. Puxar conversa com o vizinho

Eu admito que sou um pouco muito antissocial quando estou no avião. Meu negócio é colocar minha bagagem no compartimento o mais rápido possível, sentar no meu cantinho e começar a ver meus filmes antes de pegar no sono. E só acordar na hora do café antes de dar mais um cochilo antes de pousar. E vez ou outra senta alguém do seu lado que está carente e quer saber, quer conversar, quer te contar da cunhada que mora não sei onde, do amigo que foi para aquele lugar… Um pouco de conversa, ok. Mas ninguém precisa passar o voo inteiro falando, né? Pior é que tem os sem noção que não percebem que você não está afim de bater papo. Eu já perdi a vergonha. Se a conversa começa a se alongar mais do que eu gostaria eu peço desculpas e digo que quero muito assistir o filme que escolhi. Ou que preciso dormir porque estou cansada. E não pensem que isso vale só para desconhecidos, não! Uma vez tive que despachar um colega de trabalho que me fazia tirar o fone de ouvido a cada dois minutos para falar alguma coisa. Bom senso, meu povo!

11. Não fazer a higiene básica antes de voar

Viagens longas de avião na econômica acabam forçando uma intimidade meio estranha com desconhecidos por algumas horas. Tem coisa mais desagradável do que sentar lá na poltrona 49D e o sujeito da 49E ter esquecido de passar o desodorante antes do embarque? Ou de ele já ter vencido lá pelas 3 da manhã? Ok, eu entendo que às vezes a pessoa passou o dia na rua antes de ir para o aeroporto porque teve de fazer o checkout do hotel cedo, que teve de correr pelo aeroporto para não perder a conexão, etc, etc. Mas não custa nada ter um desodorantezinho na mala de mão, né? O mesmo vale para um kit de higiene bucal.

12. Usar o encosto da frente para levantar

Este é outro comportamento comum dos sem noção. Levantar da poltrona e segurar o assento da frente como se ele fosse um corrimão ou coisa parecida para ajudar a dar impulso. Já perdi a conta de quantas vezes assustei ao ser puxada para trás bruscamente ou quantas vezes puxaram meus cabelos nesta brincadeira. Que tal usar o apoio de braço ao lado da poltrona da próxima vez que for levantar?

Flying - Stock Image.

13. Colocar os pés na poltrona da frente

Sim, as poltronas da econômica parecem ficar cada vez mais desconfortáveis. Mas isso não dá a ninguém o direito de enfiar o pézão no apoio de braço da poltrona da frente, né? Quantas vezes já tive que pedir para a pessoa sentada no banco de trás fazer a gentileza de tirar o pé para que eu pudesse colocar meu braço… Não sei o que é pior, quem coloca com o sapato sujo ou aquele pé descalço mesmo (eca!). Não é porque estamos num avião que temos que invadir o espaço alheio, né? Cada macaco no seu galho 😉

14. Levantar assim que o avião pousa

Já vi muita gente caindo no chão nessa brincadeira. A pressa para sair do avião é tão grande que os sem noção nem esperam o sinal de apertar os cintos ser apagado para levantar e começar a tirar suas coisas do bagageiro. De nada adianta os comissários pedirem para sentar que eles não arredam pé dos corredores. Todo mundo vai sair do avião, não entendo a pressa. O mesmo vale para quando o avião estaciona no finger e uma galera pula de pé como se fosse ganhar um prêmio por ser o primeiro a levantar. Aí fica todo mundo em pé, se acotovelando, mala pra cá, mala pra lá, enquanto o finger demora 20 minutos para ser colocado e todo mundo, enfim, ser liberado. Se a pessoa tem uma conexão super apertada até entendo. Se não é o caso, que tal esperar sentado até a porta ser aberta?

15. Estacionar nos corredores na hora do embarque

Um dos comportamentos mais típicos dos sem noção em aviões é embarcar e simplesmente estacionar no corredor para colocar suas 319 sacolas no compartimento de bagagem,  esquecendo (ou ignorando) que há outros 200 e tantos passageiros querendo embarcar também. Se as malas são muito pesadas, se não há espaço para tudo, que tal colocar tudo na poltrona, esperar as outras pessoas embarcarem e pedir ajuda a um comissário? Ou simplesmente tentar fazer tudo isso sem travar o corredor inteiro. Ah, isso sem falar naquelas pessoas que entram com o bilhete na mão dizendo poltrona 54A e estão paradas na fileira 23 procurando seu assento… A numeração é crescente, não aleatória!

plane

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês