Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

VEJA Meus Livros Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Blog
Um presente para quem ama os livros, e não sai da internet.
Continua após publicidade

Bailarina que sobreviveu a Auschwitz lança livro de memórias; leia trecho

Edith Eva Eger, 91 anos, narra experiências do campo de concentração e conta como lidou com os traumas após a guerra

Por Raquel Carneiro Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
29 mar 2019, 17h09

Estou dançando no inferno”, pensou Edith Eva Eger, aos 16 anos, no campo de concentração de Auschwitz, na Polônia. Bailarina e ginasta profissional, a jovem, então de cabelo raspado e uniforme de prisioneira, recebeu a ordem de Josef Mengele: “Pequena dançarina, dance para mim”. Mengele, médico e capitão da SS, tropa de elite nazista, ganharia o apelido de “anjo da morte” — e a adolescente judia já sabia do que esse anjo era capaz. Ao chegar a Ausch­witz, a mãe de Edith foi selecionada por Mengele para seguir na fila da câmara de gás. “Ela vai tomar banho”, mentiu ele, sorrindo. O pai também teve a vida ceifada naquele que se tornaria o mais notório palco do Holocausto, onde morreu 1,3 milhão de pessoas. Mengele tinha outro prazer obscuro: tratar as prisioneiras como entretenimento. O carrasco passeava pelos barracões em busca de talentos que pudessem diverti-lo, rotina que o fez conhecer Edith. Por um ano, entre 1944 e 1945, a garota usou mais vezes a dança para sobreviver ao genocídio. No término da guerra, Edith e a irmã Magda foram deixadas em uma pilha de corpos para morrer (uma terceira irmã já havia escapado de ser presa). Doente e pesando 32 quilos, ela foi resgatada por soldados americanos. Hoje, aos 91 anos, morando na Califórnia, a ex-ginasta ainda dança e, após décadas sofrendo de stress pós-traumático, Edith, doutora em psicologia, narra sua história espantosa em volume recém-lançado no Brasil, A Bailarina de Auschwitz (Sextante). “É importante que meus bisnetos saibam que seus ancestrais nunca desistiram”, disse a VEJA.

Confira o prefácio e o primeiro capítulo do livro e leia a reportagem na íntegra.


Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.