Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Matheus Leitão

Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog
Continua após publicidade

Uma má notícia para Haddad e a equipe econômica

Ou… existem pressões por novas mudanças na meta!

Por Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 9 Maio 2024, 12h10 - Publicado em 19 abr 2024, 22h10

Enquanto a economia não emociona e a popularidade do governo Lula cai forte nas pesquisas, a ideia de ampliar os gastos, usando o Estado como indutor de parte da economia, tem adeptos no governo e no partido.

O problema é que isso já deu muito errado no passado e o governo petista sabe disso, segundo apurou a coluna. Procura, agora, um caminho para não levar o país a mais um ciclo de recessão, como aconteceu nos anos Dilma Rousseff com a destrambelhada “nova matriz econômica”

Mas, ao mesmo tempo, quer algo que emocione a população. O que se diz é que isso é possível: manter a estabilidade e ter mais crescimento, porque aconteceu nos governos Lula 1 e Lula 2.

A revisão das metas fiscais nesta semana – anunciadas a contragosto pelo ministro da Fazenda, Fernando Haddad -, aconteceu justamente por isso. Para haver mais espaço para gastos, mas ao mesmo tempo mantendo a política fiscal.

Continua após a publicidade

Segundo informado à coluna por um importante político do PT, as metas podem sofrer novas mudanças mais à frente. A meta de 2024, por exemplo, que foi mantida em zero, pode sofrer alteração para um déficit.

Haddad informou ao país que a meta de 2025 será de 0% do Produto Interno Bruto, o PIB, mesmo alvo de 2024. Mas internamente já falam déficit de 0,25% este ano, segundo fontes do governo.

É importante lembrar que a mesma equipe econômica estabeleceu um superávit primário de 0,5% do PIB em 2025, hoje já descartado.

Continua após a publicidade

A ideia é que a abertura de orçamento para investimento ajude o presidente Lula em sua popularidade, com medidas para a população mais pobre e a aplicação e abertura de (novos) programas sociais.

Isso tudo terá que ser feito sem elevar a inflação, o que seria uma pá de cal na gestão Lula-3. Começa um novo tempo para o quinto governo do PT na história.

PS – Por enquanto… a inflação permanece sob controle.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.