Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog
Continua após publicidade

Os dois principais problemas da tragédia de Maceió

Entenda

Por Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 9 dez 2023, 03h47 - Publicado em 8 dez 2023, 20h31

A petroquímica Braskem, responsável pelo afundamento do solo em Maceió, publicou anúncios em órgãos de comunicação nesta sexta, 8, nos quais relata uma série de medidas tomadas na mina de sal-gema explorada.

Eles fazem parecer que está tudo bem, e não está, já que uma cratera de até 300 metros de diâmetro pode ser aberta no bairro Bom Parto, da capital alagoana.

A questão é muito simples: se a petroquímica tivesse feito tudo certo na região de exploração, o chão não estava afundando como está, de forma desesperadora.

A Braskem é uma empresa grande, forte, poderosa, com dois grandes acionistas – a Odebrecht, que agora se chama Novonor, e a estatal Petrobras.

Precisa dizer mais alguma coisa?

Todos os esforços pelos dois acionistas têm que ser realizados no sentido de resolver o problema criado por eles.

Continua após a publicidade

Não adianta prestar contas de quem indenizou, o quanto investiu, quem tirou de que lugar para por em outro, porque não tem sido suficiente.

DISPUTAS POLÍTICAS

Essa é a esfera econômica, do negócio. Já na outra, a política, é também preciso pontuar alguns graves problemas.

As lideranças locais, que deveriam estar unidas em prol da solução, deixaram as velhas rivalidades falarem mais alto, e dividiram-se sobre fazer ou não uma Comissão Parlamentar de Inquérito.

Sim, é importante investigar.

Continua após a publicidade

Mas a situação do aliado de Arthur Lira contra o de Renan Calheiros – ou do ex-chefe do estado que é ministro do governo Lula e tem preferências – não contribui.

Eles estão se dividindo numa briga política local quando têm uma coisa bem mais grave acontecendo.

É preciso que as lideranças alagoanas deixem a rivalidade de lado para buscar soluções que evitem o pior.

Só pra avisar a todos, não importa de que grupo político você faça parte… ninguém vai sair bem da história se ela continuar a piorar.

PS – Na torcida por Maceió sempre, leitor.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.