Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Matheus Leitão Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog

Os bastidores do dia em que Caetano nos liderou e chorou (vídeos)

Ato pela Terra foi histórico e fundamental

Por Matheus Leitão Atualizado em 11 mar 2022, 09h54 - Publicado em 10 mar 2022, 18h37

O Brasil conheceu ontem a força da cultura. Num evento que reuniu artistas de diversos setores, milhares de pessoas cantaram juntas em defesa dos indígenas e do meio ambiente.

O chamado Ato pela Terra que aconteceu nesta quarta, 9, em frente ao Congresso Nacional, foi liderado por Caetano Veloso.

O musicista dispensa apresentações e, mais uma vez, usou sua imagem para lutar pelo país. Como já fez em outros momentos, como quando lutou contra a ditadura militar, Caetano não se escondeu, não se omitiu e, mais ainda, conseguiu juntar outros artistas na mesma causa.

Como ele mesmo disse, “o Brasil resiste”.

Em cima de um trio elétrico, diversas personalidades participaram de um movimento que não começou na política e em nenhum partido. Ontem, o Brasil acompanhou a resistência da cultura. 

Os brasileiros viram esses artistas entregando sua arte, seus nomes e seus ideiais contra um projeto de governo que destrói a cultura, o meio ambiente e os povos indígenas.

Caetano chorou. 

De cima do trio elétrico, ao receber um beijo da admirável Paula Lavigne, o ídolo que já viveu tantas dificuldades não conteve as lágrimas. 

Continua após a publicidade

Um sinal de sua luta e do seu amor às causas sociais. Um sinal de sua entrega, de corpo e alma. Junto com Caetano, chora o Brasil. O Brasil que não dá o devido valor às suas raizes, aos povos originários e ao seu riquíssimo meio ambiente.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) acompanhou o ato. Para ele, o evento foi o maior já realizado no país em defesa do meio ambiente.

“Caetano liderou artistas, sociedade civil e nós, políticos, no maior ato em defesa do meio ambiente que já se viu na história desse país. Além disso, foi o principal ato, um dos mais importantes atos de resistência ao fascismo bolsonarista dos tempos atuais”, disse o senador à coluna.

Depois do evento em frente ao Congresso, o ato continuou na casa de Orlando Morais. 

Além de Caetano, artistas como Daniela Mercury, Seu Jorge, Letícia Sabatella, Duda Beat, Mariana Ximenes, Alessandra Negrini uniram suas vozes num jantar emocionante. 

Dessa vez, eu passei rapidamente por lá. E senti, na pele, a vontade de cada um de mudar a realidade. Um protesto pacífico, mas com força para transformar o que vivemos hoje.

Estamos diante de um ano fundamental para o futuro do país. O ato de ontem é histórico e simbólico: se houver união, vamos vencer.

E assim como diz uma das músicas cantadas ontem, “a gente quer viver pleno direito, a gente quer viver todo respeito, a gente quer viver uma nação”.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)