Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Matheus Leitão

Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog
Continua após publicidade

Os 20% de Bolsonaro no STF… que viraram 10%

O presidente... e as contas erradas sobre sua influência na corte

Por Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 28 fev 2022, 16h13 - Publicado em 25 fev 2022, 14h41

Quando a indicação de André Mendonça para ocupar uma cadeira no Supremo Tribunal Federal (STF) foi aprovada no ano passado, o presidente Jair Bolsonaro se gabou de ter 20% de votos na mais alta corte do país.

“Hoje em dia, eu não mando nos dois votos no Supremo, mas são dois ministros que representam, em tese, 20% daquilo que nós gostaríamos que fosse decidido e votado dentro do Supremo Tribunal Federal”, disse o presidente durante um evento no início de dezembro.

A declaração de Bolsonaro tem a ver com a presença de Mendonça e de Kassio Nunes Marques, os dois indicados por sua gestão. Apesar de toda essa certeza sobre o alinhamento dos dois ministros, a votação desta semana sobre o aumento do fundo eleitoral mostra que o presidente não tem os 20% que ele acreditava ter.

O ministro André Mendonça, que é relator do processo que julga a constitucionalidade do aumento do fundão para R$ 4,9 bilhões, votou contra a medida. Já o ministro Nunes Marques votou pela legalidade do aumento.

Continua após a publicidade

O julgamento está suspenso e só deve ser retomado após o feriado.

No momento, o placar está em 5 a 1 a favor da constitucionalidade do aumento. Apenas André Mendonça votou contra a medida.

Junto com Nunes Marques, aprovaram o aumento os ministros Alexandre de Moraes, Luiz Fux e Edson Fachin.

Continua após a publicidade

Bolsonaro errou as contas. Mendonça e Nunes Marques não estão necessariamente alinhados e isso apaga os 20% que o presidente achava que teria.

Em ano eleitoral, o próprio Bolsonaro já deixou claro que o mais importante de vencer essas eleições é que o próximo presidente poderá nomear mais dois ministros para o STF.

Convencido de que já tem 20% das decisões na Corte, o presidente deve estar querendo chegar aos 40% imaginários que criou em sua cabeça.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.