Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog
Continua após publicidade

A resposta que o STF dará à Câmara sobre o marco temporal

Ou... a decisão já sacramentada no Supremo, que deve derrubar imposição do Legislativo sobre terras indígenas

Por Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 31 Maio 2023, 15h43 - Publicado em 31 Maio 2023, 10h16

Supremo Tribunal Federal (STF) formou maioria para decidir contrariamente à proposta aprovada pela Câmara que estabelece o marco temporal para a demarcação de terras indígenas.

Nesta terça, 30, os deputados votaram um projeto que estava em tramitação na Casa desde 2007, estabelecendo que os povos originários terão direito apenas às terras tradicionalmente ocupadas até outubro de 1988, quando foi promulgada a Constituição.

Após a aprovação na Câmara, o texto segue para o Senado, onde ainda passará por algumas comissões. Ou seja, deverá tramitar sem a urgência imposta por deputados que esperaram 16 anos para, do dia para a noite, avaliar que a proposta era uma matéria urgente. 

Isso aconteceu em resposta a Rosa Weber, presidente do STF, que decidiu voltar a pautar julgamento sobre o mesmo tema. 

Continua após a publicidade

A análise do tema no Supremo, que terá repercussão geral, foi suspensa por um pedido de vista de Alexandre de Moraes em setembro de 2022, quando o placar estava empatado em 1 a 1 (Edson Fachin votou contra o marco temporal e Nunes Marques a favor).

Como em outros momentos desde a redemocratização, a votação da próxima semana pode gerar mais um estresse entre poderes no Brasil, com acusações da Câmara sobre suposta interferência do Judiciário em uma atribuição do Legislativo. 

Isso porque, segundo apurou a coluna, a maioria dos ministros da corte deve votar contra a tese aprovada pelos parlamentares, que impuseram nova derrota ao governo Lula. A discussão do caso pelo STF deve aumentar – e muito – a temperatura em Brasília.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.