Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Matheus Leitão

Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog
Continua após publicidade

A importante provocação de Flávio Dino a Bolsonaro

… e seus seguidores 

Por Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 13 Maio 2024, 21h12 - Publicado em 12 set 2023, 15h19

O ministro da Justiça, Flávio Dino, resolveu fazer uma importantíssima provocação a Jair Bolsonaro – e seus seguidores – durante a inauguração de uma exposição do fotógrafo Evandro Teixeira sobre o golpe no Chile, há exatos 50 anos.

“O exercício da memória é o exercício de coerência. É o exercício de coerência com a luta democrática. É o exercício de coerência com a luta contra o fascismo. Nós devemos ao Brasil. E vamos pagar essa dívida. O Museu da Memória, da Verdade e dos Direitos Humanos no nosso país”, afirmou.

Obviamente, a declaração tratava da violência atroz da ditadura chilena, mas também da extrema-direita, responsável pelos golpes no Chile, no Brasil, na Argentina, no Uruguai e no Paraguai. 

Esses golpes cobriram a América Latina de dor e vergonha – meio século atrás ou mais – mas o bolsonarismo insiste em não entender os valores universais que impedem qualquer louvação à ditadura e à tortura. Aliás, sejam os regimes de exceção de direita ou de esquerda.

Quando a desumanidade nos leva à cegueira sobre questões que estão acima da polarização – ou da disputa ideológica de lado a lado – é sinal de que a sociedade adoeceu.

Continua após a publicidade

O próprio Lula erra em apoiar regimes (o chavista, na Venezuela, por exemplo) que ferem os mais básicos valores civilizatórios, como já mostrou a coluna.

Mas Bolsonaro sempre foi aquele que defendeu o indefensável. Apoiou publicamente os mais cruéis atos das ditaduras do século passado no Cone Sul. Isso, Lula nunca fez. Defender a tortura, por exemplo, jamais. O ex-presidente inelegível está fazendo isso há anos, e reproduziu esse horror em milhares de seguidores.

Simbolicamente, a ideia de criar um museu da memória no Brasil – o único país da América Latina que passou por uma ditadura sem justiça de transição – é um passo à frente, em direção à compressão do que “significa elaborar o passado”, como ensinou Theodor Adorno.

O passado da ditadura no Brasil nunca foi elabora­do a sério para se ter uma consciência clara sobre o regime. O que se pretende no país, ao contrário, é encerrar a questão no passado. Se possível, inclu­sive, riscando­-o da memória.

Continua após a publicidade

Nesse aspecto, o ministro Flávio Dino está mais que certo em trazer essa ideia – a de um espaço para a memória – para a opinião pública. Reforçaria a civilidade, que às vezes parece ainda engatinhar no Brasil.

Todos países que passaram por períodos de opressão, revisitam em museus os fatos históricos exatamente para que eles não sejam negados. Ainda que o negacionismo seja uma doença que ignore qualquer evidência.

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.