Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Maquiavel Por José Benedito da Silva A política e seus bastidores. Com João Pedroso de Campos, Reynaldo Turollo Jr., Tulio Kruse, Diogo Magri, Victoria Bechara e Sérgio Quintella. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Renúncia é ‘até breve‘ e gesto para ajudar o PSDB e o país, diz Doria

Ex-governador reafirmou a militantes tucanos que seguirá no partido após ter sido pressionado pela cúpula do PSDB a abandonar corrida presidencial

Por Victor Irajá, João Pedroso de Campos Atualizado em 24 Maio 2022, 06h58 - Publicado em 23 Maio 2022, 18h32

Em evento realizado pela militância do PSDB no coração da campanha do ex-governador João Doria, na Avenida Brasil, em São Paulo, o tucano afirmou que sua desistência da corrida presidencial, anunciada mais cedo nesta segunda-feira, 23, é um “até breve” da política. Em um discurso para os membros do partido, Doria pediu a “compreensão” dos eleitores ao retirar sua candidatura e disse que o Brasil precisa de uma candidatura “fortalecida” para se opor às campanhas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e do presidente Jair Bolsonaro (PL).

“Queria pedir a compreensão de vocês, o ato que eu anunciei hoje foi dedicado ao PSDB, à democracia, ao respeito à liberdade e principalmente ao nosso país. O Brasil precisa ter uma alternativa que represente algo fortalecido para combater, neste momento, este duelo entre a extrema esquerda e a extrema direita. Estamos diante de uma situação de confronto que não é boa para o Brasil”, afirmou o tucano.

Após ter sido pressionado pela cúpula do PSDB a desistir da corrida ao Palácio do Planalto, o ex-governador disse que a renúncia foi um gesto para “ajudar” o partido e o país. Aos militantes, Doria declarou que não invocaria sua vitória nas prévias, “ainda que tivesse direito”, e reafirmou que ficará na sigla.

“Não vou sair do PSDB, continuo no PSDB, continuo a exercitar aquilo que representou minha vontade de estar no PSDB. Só tive um partido, tenho 22 anos de PSDB, não mudei de partido, não mudo de partido, e não vou mudar de partido. Tenho a compreensão de que neste momento meu gesto pode ajudar meu partido e o meu país”, disse.

João Doria ainda classificou a renúncia como movimento para “serenar, acalmar, permitir que, com equilíbrio, serenidade, reflexão, possa ser encontrado um caminho adequado dentro do PSDB e com outros partidos aliados”. “Vamos aguardar, tenho o sentimento e a convicção de que esse gesto vai ajudar que outros dentro do PSDB e principalmente outros partidos possam estar ao lado do Brasil e construir nessa aliança um movimento pelo país”, completou.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)