Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Quem é o ‘senhor das armas’ que abastecia facções criminosas no Brasil

Diego Hernan Dirísio é considerado o maior contrabandista de armamentos da América do Sul

Por Bruno Caniato
6 dez 2023, 09h51

Entre 2020 e 2023, a Polícia Federal estima que as principais facções criminosas do Brasil, como o Comando Vermelho (CV) e o Primeiro Comando da Capital (PCC), tenham comprado cerca de 43 mil armas traficadas através da fronteira com o Paraguai.

O principal “senhor das armas” por trás deste esquema, que teria movimentado 1,2 bilhão de reais, é o argentino Diego Hernan Dirísio, que tornou-se alvo de uma megaoperação da PF deflagrada nesta terça-feira, 5.

Considerado o maior contrabandista de armas da América do Sul, Dirísio é suspeito de liderar uma operação de contrabando que trazia fuzis, pistolas e munições da Europa para revender a criminosos no Brasil.

Por meio de uma empresa registrada em Assunção, o argentino importava os armamentos da Croácia, Turquia, Republica Tcheca e Eslovênia para o Paraguai, onde os números de registro eram raspados para dificultar seu rastreamento.

Continua após a publicidade

Até o momento, Dirísio encontra-se foragido das autoridades brasileiras e paraguaias. A Justiça da Bahia, onde tiveram início as investigações contra o grupo contrabandista, solicitou que o nome do argentino seja incluído na lista de procurados da Interpol (polícia internacional) para que possa ser preso em outros países.

General preso

A Operação Dakovo, realizada pela PF, pelo Ministério Público Federal (MPF) e pela Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai, resultou na prisão de dezenove pessoas por envolvimento com tráfico de armas.

Um dos indivíduos presos é o general do ar Arturo Javier González Ocampo, que foi comandante da Força Aérea do Paraguai de 2022 até o último mês de novembro, nomeado pelo então presidente Mario Abdo Benítez. Ele foi detido em sua casa, no país vizinho.

Continua após a publicidade

Em novembro do ano passado, Ocampo chegou a vir ao Brasil para participar da celebração do Dia da Força Aérea Brasileira (FAB).

Dino elogia

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, elogiou a operação deflagrada nesta terça-feira pela Polícia Federal e declarou que a ação tem “importância estratégica no combate ao crime organizado”, por fechar um canal de abastecimento de armas do PCC e do CV.

“O presidente Lula definiu como prioridade, para o Ministério da Justiça, a ação contra a logística do crime organizado. Daí o foco em portos, aeroportos e fronteiras. E o outro eixo a descapitalização: tirar dinheiro do crime organizado”, afirmou.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.