Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Lula fará maior anúncio do Minha Casa, Minha Vida do seu terceiro mandato

Governo apresenta nesta quarta-feira, 22, a primeira seleção de propostas para a construção de 180.000 unidades para quem ganha até 2.640 reais mensais

Por Laísa Dall'Agnol Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 9 Maio 2024, 19h56 - Publicado em 22 nov 2023, 11h18

O governo Luiz Inácio Lula da Silva dá início, nesta quarta-feira, 22, em Brasília, à primeira seleção de propostas do novo Minha Casa, Minha Vida (MCMV), programa habitacional que é hoje uma das maiores vitrines da atual gestão.

Na ocasião, será anunciada a primeira leva para a chamada faixa 1, que abarca famílias com renda bruta mensal de até 2.640 reais e cujos beneficiários são indicados pelos municípios ou governos estaduais. Nessa fase, a Caixa Econômica Federal recebeu propostas de empresas de construção para a viabilização de cerca de 180.000 unidades em 560 municípios. Ao lado dos ministros Jader Filho (Cidades) e Rui Costa (Casa Civil), Lula deverá assinar a regulamentação dessas unidades em áreas urbanas, com recursos do próprio governo federal, por meio do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR).

Segundo a portaria de junho que regulamentou o novo MCMV, as metas de contratação para a faixa 1 consideram o déficit habitacional nos estados aferido pela Fundação João Pinheiro em 2019. De acordo com a publicação, os estados mais deficitários e que, portanto, receberão mais unidades por essa modalidade são: São Paulo (12.973), Bahia (11.454), Maranhão (9.955), Minas Gerais (9.939) e Pará (8.544).

Novo programa

Lula já anunciou que o novo Minha Casa, Minha Vida deverá entregar 2 milhões de novas unidades habitacionais até 2026. Desse total, 500.000 unidades serão custeadas via recursos do Orçamento e 1,5 milhão por meio de financiamentos via recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Paralelamente, Lula também tem retomado e entregado obras iniciadas, em sua maioria, no governo Dilma Rousseff (2011-2016), em estados como São Paulo, Rio Grande do Sul, Alagoas e Bahia. Apenas neste ano, o Ministério das Cidades já entregou mais de 12.000 unidades habitacionais e foram autorizadas as retomadas de obras de outras 19.000. A previsão é que até dezembro sejam entregues, no total, 21.000 unidades e retomadas as obras de 35.000 de gestões anteriores.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.