Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Maquiavel Por José Benedito da Silva A política e seus bastidores. Com João Pedroso de Campos, Reynaldo Turollo Jr., Tulio Kruse, Diogo Magri, Victoria Bechara e Sérgio Quintella. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Eduardo Leite: ‘Tenho disposição para ser, sim, presidente’

Governador gaúcho anuncia renúncia e mostra que continua no páreo para a Presidência

Por Da Redação Atualizado em 28 mar 2022, 18h52 - Publicado em 28 mar 2022, 15h52

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), deixou bem claro, em entrevista coletiva nesta segunda-feira, 28, que está ainda no páreo para ser candidato a presidente da República na eleição deste ano.

“Eu me sinto preparado, me sinto em condições, tenho vontade, tenho disposição para ser sim presidente. Mas ninguém é presidente pela sua mera vontade pessoal. Uma candidatura à Presidência não é levada por um projeto pessoal, ela é um projeto que tem que ser construído coletivamente. E eu estarei me apresentando, se entenderem que, nessa função, eu devo colaborar. Se não, eu estarei ajudando em qualquer outra posição”, disse.

Segundo ele, falta um candidato a presidente que aponte um caminho para o futuro. “Não adianta querer se apresentar nesta eleição simplesmente sendo nem um ou nem outro ou nem os dois. O que a gente precisa é trazer a população para ser a favor de algo. Nós não vamos virar o jogo dessa disputa eleitoral simplesmente convencendo que os outros são piores, nós temos que mostrar que temos um caminho melhor. E entre esses dois caminhos que estão se apresentando, um representa o passado, o outro, o presente. Está faltando quem fale de futuro”.

Prévias

Sobre o fato de o partido já ter feito prévias para escolher o candidato a presidente, com vitória do governador de São Paulo, João Doria, sobre ele, disse que “ninguém está desrespeitando prévias”. “As prévias foram importantes, mobilizaram o partido, movimentaram o PSDB.  (…) Agora democracia não é apenas a oportunidade do voto. É também a possibilidade de, depois do voto dado, haver a contestação, discussão, debate”, afirmou.

Ele disse ainda que a convenção nacional do PSDB é “absolutamente soberana” para a tomada de decisão. Se faz essa discussão (prévias) e se acrescentam outros atores. Teremos a oportunidade de ter essa discussão política para entender qual candidatura se conecta melhor com o sentimento da população. Há um grupo representativo de pessoas que entende que esse nome sou eu. (…) E, atendendo inclusive a esse chamado, dessas pessoas que eu me apresento”.

 

 

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)