Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Desmatamento no Cerrado cresce e tem maior área devastada desde 2016

Taxas de destruição do bioma crescem pelo quarto ano consecutivo; governo lançou plano de ação

Por Da Redação
29 nov 2023, 11h08

O Cerrado perdeu 11.011 quilômetros quadrados de vegetação nativa entre agosto de 2022 e julho de 2023, a maior área devastada desde 2016. Segundo dados do Prodes, sistema do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o número representa um aumento de 3% em relação ao período anterior. 

Ao contrário do que aconteceu na Amazônia, onde o desmatamento caiu, as taxas de devastação do bioma seguem crescendo pelo quarto ano consecutivo. Os dados foram divulgados em um evento do Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima, em Brasília, no qual também foi divulgado o Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento no Cerrado (PPCerrado).

Segundo os números do Prodes, os estados que mais desmataram foram Maranhão (2.929 km²), Tocantins (2.234 km²), Bahia (1.972 km²) e Piauí (1.128 km²), em uma região conhecida como Matopiba, importante fronteira agrícola do país. Segundo a ONG WWF Brasil, os índices de desmatamento nessa região evidenciam a relação entre o avanço da produção de commodities e a destruição ambiental. 

A entidade também ressalta que os números resultam de um aumento crítico da vulnerabilidade climática, ambiental e social e da falta de fiscalização. “Enquanto presenciamos ações efetivas e queda de desmatamento na Amazônia, os dados para o Cerrado estão na contramão. Considerado a savana com maior biodiversidade do planeta, ele é também um dos biomas mais ameaçados, pois conta com uma proteção ambiental mais frágil e, consequentemente, com sucessivos recordes de desmatamento”, afirma Edegar de Oliveira, diretor de Conservação e Restauração do WWF-Brasil.

Sem negacionismo

O governo federal lançou nesta terça-feira, 28, a quarta fase do PPCerrado, que inclui ações específicas de combate ao desmatamento no bioma, mais fiscalização e expansão das áreas de proteção. O projeto tem como objetivo “coordenar e/ou alinhar o planejamento dos grandes empreendimentos e projetos de infraestrutura e de desenvolvimento na região, com a meta de desmatamento zero até 2030”.

Continua após a publicidade

O anúncio dos dados e do plano de ação ocorreu às vésperas da COP28, a conferência do clima da ONU, que acontece a partir desta quinta-feira, 30, nos Emirados Árabes. “Nós fizemos questão de colocar o dado antes da viagem, exatamente para mostrar que não é com negacionismo que se resolve o problema, é fazendo diagnóstico e apresentando soluções, como lançando já no primeiro ano o PPCerrado, feito em tempo recorde”, afirmou a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva

 

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.