Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Avião da Polícia Federal cai em aeroporto de BH e deixa dois mortos

Um terceiro tripulante foi socorrido e levado ao hospital; causa do acidente ainda é investigada

Por Bruno Caniato Atualizado em 9 Maio 2024, 11h33 - Publicado em 6 mar 2024, 15h57

Um avião pertencente à Polícia Federal com três pessoas a bordo caiu no Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte, e pegou fogo na tarde desta quarta-feira, 6. Dois tripulantes morreram queimados no local e um homem foi socorrido e levado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) ao pronto-socorro do Hospital João XXIII, segundo informações do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais.

Segundo as autoridades, o avião estava partindo do aeroporto e chegou a decolar, mas perdeu altitude após alguns instantes e caiu na área lateral da pista. Os bombeiros afirmam que o incêndio já foi controlado e a aeronave retirada da pista de decolagem.

Em nota, a Polícia Federal informou que as duas vítimas fatais foram os agentes federais Guilherme de Almeida Irber e José Moraes Neto e que o terceiro tripulante, o mecânico terceirizado Walter Luís Martins, encontra-se lúcido no hospital. O diretor-geral da Polícia Federal, Andrei Rodrigues, visitará o local do acidente.

As causas da queda do avião estão sendo investigadas pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), órgão da Força Aérea Brasileira (FAB).

Continua após a publicidade

Ocorrências anteriores

De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o avião era um modelo Cessna Grand Caravan, fabricado em 2001, com número de série 208B0903. O Certificado de Aeronavegabilidade (CA), documento que comprova as condições de voo da aeronave, tinha validade até agosto de 2024 e aguardava a renovação — segundo a Anac, pela data de emissão, o certificado estava fora do padrão atual.

Dados do Sistema de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Sipaer), da FAB, indicam que o mesmo avião já havia registrado avarias em pelo menos duas outras ocasiões. Em 3 de abril de 2019, a aeronave partiu de Brasília com destino a Jundiaí, região metropolitana de São Paulo, e sofreu um esvaziamento do pneu esquerdo durante o pouso, dificultando o controle do veículo na pista. Já em 12 de agosto de 2020, o avião passou pelo mesmo problema de esvaziamento de pneu, desta vez do lado direito, durante um pouso em Guarulhos. Em ambas as ocasiões, os danos ao veículo foram leves e nenhum dos tripulantes se feriu.

Esta reportagem está em atualização. Mais informações em instantes.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.