Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

As férias do desembargador que mandou prender Rodrigo Tacla Duran

Alvo de procedimento no CNJ, Marcelo Malucelli deixou o cargo na última segunda-feira, 17, e será substituído por juiz federal no TRF-4

Por João Pedroso de Campos Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 19 abr 2023, 19h53 - Publicado em 19 abr 2023, 17h34

Em meio às polêmicas em torno da sua decisão que restabeleceu a prisão do advogado Rodrigo Tacla Duran e suas relações pessoais com o senador Sergio Moro (União-PR), acusado de extorsão por Tacla Duran, o desembargador federal Marcelo Malucelli, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), saiu de férias na última segunda-feira, 17. Ele volta ao trabalho no dia 6 de maio, período em que terá como substituto o juiz federal Rodrigo Kravetz.

Segundo a assessoria de imprensa do TRF4, as férias de Malucelli neste momento não passam de uma coincidência: elas estavam marcadas desde o dia 3 de fevereiro, antes de o desembargador federal se tornar pivô de controvérsias em torno do caso Tacla Duran.

No mesmo dia em que Marcelo Malucelli saiu de férias, o Conselho Nacional de Justiça abriu um procedimento para apurar a conduta dele no caso envolvendo o advogado. Após o juiz federal Eduardo Appio ter revogado as ordens de prisão contra o Tacla Duran na Operação Lava Jato, Marcelo Malucelli restabeleceu no último dia 13 a prisão do advogado.

Ao tomar a decisão, o desembargador considerou que Appio não poderia ter revogado as ordens contra ele, porque o processo havia sido suspenso por ordem do ex-ministro do STF Ricardo Lewandowski. O magistrado do TRF4 já havia se posicionado, em março, contra um pedido de Tacla Duran para que Moro fosse declarado suspeito em relação a ele nos processos da Lava Jato.

Continua após a publicidade

Apontado na Lava Jato como lavador de dinheiro sujo da Odebrecht no exterior, o Rodrigo Tacla Duran acusa Sergio Moro e o ex-procurador da Lava Jato e deputado federal Deltan Dallagnol (Podemos-PR) de extorsão. Reportagem de VEJA desta semana detalha o caso.

Malucelli é pai do advogado João Eduardo Malucelli, de 28 anos, que é sócio de Sergio Moro e da mulher dele, a deputada Rosângela Moro (União-PR), no escritório Wolff & Moro Sociedade de Advogados, em Curitiba. Além da sociedade, João Eduardo é namorado da filha mais velha do casal Moro, a advogada Julia Wolff, e trabalha como servidor comissionado no gabinete de um deputado estadual que é irmão de um dos suplentes de Sergio Moro.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.