Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho e Isabella Alonso Panho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Após irritar alckmistas, Doria acompanhará voto de tucano em SP

Ex-prefeito apareceu em vídeo ao lado de eleitor bolsonarista e cancelou participação em caminhada com o presidenciável em SP

Por João Pedroso de Campos Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 5 out 2018, 22h06 - Publicado em 5 out 2018, 20h15

Embora cada vez mais alinhado ao discurso de Jair Bolsonaro (PSL), sobretudo em relação à segurança pública, o candidato do PSDB do governo de São Paulo, João Doria, decidiu que vai acompanhar Geraldo Alckmin durante o voto do presidenciável tucano na manhã de domingo, em um colégio particular na Zona Sul da capital paulista.

O gesto de união do ex-prefeito paulistano, confirmado em sua agenda, se dará após sua falta de empenho em defender e fazer campanha para Alckmin ter irritado aliados do ex-governador em duas ocasiões nos últimos dias.

Na terça-feira (2), Doria apareceu bem à vontade em um vídeo feito por um eleitor que pedia voto em Bolsonaro, sem sequer citar o nome do tucano. Nesta sexta-feira (5), cancelou sua participação em uma caminhada de Geraldo Alckmin ao lado de lideranças do PSDB e de partidos aliados, em São Paulo. Neste caso, a assessoria de imprensa de João Doria alegou que ele estava em Sorocaba (SP) e, como o tempo estava nublado, seu jatinho não pôde decolar rumo à capital.

Além de Geraldo Alckmin, que passou de seu padrinho político a desafeto e aliado indesejável na eleição, Doria também acompanhará os votos do prefeito paulistano, Bruno Covas, do vice em sua chapa, Rodrigo Garcia (DEM), e dos candidatos ao Senado pelo PSDB, Ricardo Tripoli e Mara Gabrilli.

Entre estes, ironicamente, João Doria talvez tenha dúvidas de que realmente receberá, na intimidade da urna, o voto de Alckmin. Márcio França (PSB), que era vice do tucano e tomou posse quando ele renunciou para concorrer à Presidência, era o candidato preferido do presidenciável para sucedê-lo no Palácio dos Bandeirantes — até o PSDB paulista e João Doria dinamitarem seus planos.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.