Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Maquiavel Por José Benedito da Silva A política e seus bastidores. Com João Pedroso de Campos, Reynaldo Turollo Jr., Tulio Kruse, Diogo Magri, Victoria Bechara e Sérgio Quintella. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

A dura resposta do MDB gaúcho à decisão da cúpula de apoiar Eduardo Leite

Executiva nacional do partido deliberou apoio ao PSDB no Rio Grande do Sul, mas integrantes da legenda gaúcha resistem à aliança

Por Da Redação 29 jun 2022, 15h50

Desde que o PSDB divulgou que apoiaria a chapa presidencial da senadora Simone Tebet (MDB-MS), o presidente nacional tucano, Bruno Araújo, deixou claro que a contrapartida precisaria vir em alguns estados. O mais importante (e indefinido), até agora, é o Rio Grande do Sul.

Lá, tucanos lançaram o ex-governador Eduardo Leite como pré-candidato à reeleição (ele renunciou ao cargo, mas decidiu entrar na disputa por um novo mandato), enquanto o MDB tem como pré-candidato o deputado estadual Gabriel Souza, ex-presidente da Assembleia Legislativa.

O PSDB gaúcho apresentou na quinta-feira passada, 23, uma proposta para que Gabriel Souza retire sua candidatura e integre a chapa de Leite ao governo. No entanto, a resistência emedebista tem prevalecido no estado, com a chancela de nomes históricos do partido, como os ex-governadores Sebastião Melo, José Ivo Sartori e Pedro Simon. Pesa também o tamanho local da legenda, que já investe em viagens do deputado pelo estado, e o fato de que o MDB tinha a expectativa de receber o apoio tucano nas eleições estaduais após a renúncia de Eduardo Leite, e não o contrário.

Para tentar solucionar o desacordo, a executiva nacional do MDB em Brasília divulgou nesta quarta, 29, a aprovação por unanimidade do indicativo por uma aliança com o PSDB no Rio Grande do Sul, justificando que a chapa única é fundamental para o projeto de Tebet. O indicativo foi compartilhado pelo presidente nacional do partido, o deputado federal Baleia Rossi, e pela própria senadora.

Fábio Branco, presidente do MDB-RS
Fábio Branco, presidente do MDB-RS, que disse que a decisão de ter ou não candidatura própria no estado será tomada pelos emedebistas gaúchos Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul/.

No entanto, o indicativo nacional provocou descontentamento entre os sulistas, que fazem questão da candidatura própria. O presidente do MDB-RS, Fábio Branco, foi às redes sociais para dizer que respeita o MDB nacional, “mas a decisão sobre as eleições no Rio Grande do Sul será do MDB-RS, como sempre foi”. “Reafirmo a candidatura própria ao governo do Estado. Vou convocar a Executiva para acionar nossas instâncias partidárias e deliberar o assunto”, completou.

A VEJA Branco declarou que a aliança estadual ainda não foi discutida internamente com a delicadeza que exige, mas que a decisão deve sair antes das convenções partidárias, marcadas para o fim de julho. Interlocutores da cúpula gaúcha do MDB também disseram que não será aceita uma intervenção vinda de cima para baixo.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)