Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Letra de Médico Por Cilene Pereira Orientações médicas e textos de saúde assinados por profissionais de primeira linha do Brasil

Mudar hábitos melhora a fertilidade

Homens que participaram de programas de fertilização in vitro e fizeram exercícios moderados a vigorosos tinham taxas de espermatozóides mais altas

Por Rodrigo Rosa Atualizado em 31 jan 2022, 16h49 - Publicado em 31 jan 2022, 16h42

Cerca de 15% dos adultos em todo o mundo sofrem de infertilidade masculina ou feminina, e muitos deles recorrem a tecnologias avançadas de reprodução assistida, como a fertilização in vitro (FIV), para ajudar a realizar seus sonhos de maternidade e paternidade.

Mas já é consolidado na literatura científica que os programas de fertilização in vitro têm mais sucesso quando os casais adquirem simples mudanças no estilo de vida, o que pode aumentar significativamente as chances de conceber e ter um bebê saudável.

O fumo, o consumo de álcool e cafeína, além de decisões dietéticas e os exercícios, tudo isso tem grande impacto, para o bem ou para o mal, na fertilidade.

Mais de oito milhões de bebês nasceram de fertilização in vitro e o número está aumentando significativamente à medida que os níveis de infertilidade aumentam nas populações em todo o mundo, com adiamento frequente da concepção de um filho.

Segundo estudos, o tabagismo reduziu a gravidez de fertilização in vitro em cerca de 50% e aumentou o número de abortos em duas vezes. Mesmo as mulheres que não fumam, mas são expostas ao fumo passivo, apresentam taxas de sucesso reduzidas na fertilização in vitro. Por isso, o parceiro precisa colaborar.

Continua após a publicidade

Também há evidências claras de mais abortos espontâneos no primeiro ciclo de fertilização in vitro entre os casais que bebem álcool diariamente, em comparação com os que bebem e não bebem socialmente.

Um estudo com 2.500 casais atendidos em três clínicas de Fertilização In Vitro em Boston descobriu que as mulheres que consumiram quatro ou mais bebidas alcoólicas por mês antes de iniciar seu primeiro ciclo de FIV experimentaram uma redução de 16% nas taxas de nascidos vivos. O estudo também mostrou que se uma mulher e seu parceiro bebessem quatro ou mais bebidas alcoólicas um mês antes do primeiro ciclo de fertilização in vitro, havia uma redução de 21% nas taxas de nascidos.

Estudos também indicaram que o consumo de cafeína acima do moderado pode contribuir para as taxas de aborto na fertilização in vitro, enquanto uma dieta mediterrânea com alta ingestão de vegetais, azeite, peixe e legumes pode melhorar as taxas de gravidez.

Homens que participaram de programas de fertilização in vitro e realizaram exercícios regulares moderados a vigorosos tinham concentrações de espermatozoides mais altas do que os homens menos ativos. Esse é um dado importante, porque o hábito de vida de ambos, tanto do homem quanto da mulher, importa para o sucesso da fertilização.

É de vital importância que os médicos de fertilidade aconselhem as pacientes sobre os fatores de risco modificáveis do estilo de vida, pois assim é possível assegurar maiores chances de sucesso.

Dr. Rodrigo Rosa
./Divulgação
Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês