Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Letra de Médico

Orientações médicas e textos de saúde assinados por profissionais de primeira linha do Brasil
Continua após publicidade

As doenças do olho e as doenças do corpo (e vice-versa)

Pacientes com diabetes, hipertensão arterial e obesidade não devem esperar sintomas visuais para fazer exames oftalmológicos

Por Marina Roizenblatt
Atualizado em 30 mar 2023, 09h31 - Publicado em 22 mar 2023, 19h40

A visão é um dos sentidos mais importantes e complexos do corpo humano. Porém, o que muitos não percebem é que a saúde ocular está intimamente relacionada com a saúde do resto do corpo. Assim, quando a sua saúde geral não está legal, certamente os seus olhos vão sofrer com isso.

Um ótimo exemplo para este tipo de situação é a retinopatia diabética, que nada mais é que uma doença que se instala dentro do olho (mais especificamente na retina, que é uma das partes do olho). E isso ocorre devido às consequências de muito anos de descontrole do açúcar do sangue. Diabetes configura uma das principais causas de cegueira, porém 90% dos casos que tiveram tal desfecho desfavorável poderiam ter sido evitados, segundo dados da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD). Na tentativa de atenuar este cenário, a SBD e a Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo (SBRV) se uniram na campanha nacional “Abra os Olhos: o Diabetes pode levar à cegueira. Consulte um especialista. Você pode mudar esta história”. O objetivo é alertar a população sobre os riscos do diabetes descontrolado para a saúde dos olhos. E como se não fosse bastante, os estragos que o diabetes pode causar na visão não se restringem à retinopatia diabética. Quando os níveis de glicemia estão alterados, o diabetes também está associado ao aparecimento de catarata e mudanças do grau dos óculos. Entretanto, os holofotes se voltam no final do dia para a retinopatia diabética, frente sua potencial associação com a cegueira irreversível quando a doença não é controlada precocemente.

Partimos então para falar de outra doença bem conhecida por todos: a hipertensão arterial sistêmica. Esta também pode atingir a retina do sujeito, causando então a retinopatia hipertensiva que, em linhas gerais, trata-se da lesão vascular da retina causada pela pressão alta do corpo. Mas o mais perigoso dessa história toda das retinopatias é que elas não costumam causar qualquer sintoma na fase inicial da doença, de modo que a piora da visão tende a ser percebida pelo paciente apenas após anos de danos desenfreados nas estruturas intraoculares. Por este motivo, o paciente com diabetes ou hipertensão arterial não deve esperar pelo aparecimento de sintomas visuais, devendo realizar um exame oftalmológico completo, incluindo o exame de fundo de olho, pelo menos uma vez por ano. Tal exame de fundo de olho é até capaz de, por si só, levantar a hipótese de que a pessoa tem diabetes ou hipertensão, mesmo sem que ela saiba: isso porque, no exame, é possível ver os vasos da retina que, quando doentes, indicam que os vasos de todo o corpo podem estar também sofrendo, incluindo órgão nobres como rins, cérebro e coração.

Agora, algumas palavras sobre a obesidade, condição cuja prevalência já era ascendente na população brasileira, mas que se tornou ainda mais comum durante a pandemia do novo coronavírus, talvez diante da impossibilidade de prática de algumas modalidades de atividade física devido às medidas sanitárias que foram impostas. A obesidade tem sido associada à catarata relacionada à idade, ao glaucoma (doença que cursa com o aumento da pressão do olho), à doença macular relacionada à idade (doença da retina que é a principal responsável por baixa visual em pessoas
maiores de 50 anos) e com a retinopatia diabética (da qual já falamos acima). No entanto, a natureza e a força dessas associações ainda precisam ser determinadas por estudos futuros. Enfim, uma coisa é certa, o sobrepeso e a obesidade devem sempre ser evitados por inúmeros motivos e nesta lista de razões certamente entra a preservação de uma boa saúde ocular.

Continua após a publicidade

Por fim, vale incluir na lista algumas doenças menos prevalentes, mas que, à semelhança do descrito acima, podem impactar negativamente na visão. As doenças inflamatórias do corpo são um bom exemplo. Estas incluem as doenças inflamatórias intestinais doença de Crohn e retocolite ulcerativa), as doenças das articulações ( lúpus e atrite reumatoide), dentre outras. Todas estas são condições que, assim como podem inflamar diversas partes do corpo, podem também causar inflamação ocular. O achado mais comum ocular é a uveíte, quadro inflamatório de uma das partes do olho que pode causar danos permanentes aos olhos se não for adequadamente tratado. Valem também algumas palavras sobre o câncer e a metástase. Os tumores oculares são raros. No entanto, existem certos tipos de câncer que podem se espalhar, dar metástases, para os olhos. O câncer de mama é um exemplo de câncer que pode chegar aos olhos, de modo que pode ser encontrado através de um exame clínico oftalmológico completo antes que outros testes mostrem que o câncer primário se espalhou.

William Shakespeare já dizia “os olhos são as janelas da alma”. De fato, ele não poderia estar mais certo nesta afirmação. Um bom exame pode revelar muito sobre a sua saúde geral e se alguma das outras partes do seu corpo precisa de uma atenção especial. Ou seja, os oftalmologistas costumam ter pistas nos olhos que alertam sobre problemas de saúde em outras partes do corpo. Está tudo conectado em nosso corpo e cuidar de uma parte é o mesmo que cuidar do todo.

* Marina Roizenblatt é oftalmologista especialista em retina cirúrgica, post-doctoral research fellow pela Johns Hopkins University (EUA) e pós-doutoranda pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.