Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Em Cartaz

Por Raquel Carneiro
Do cinema ao streaming, um blog com estreias, notícias e dicas de filmes que valem o ingresso – e alertas sobre os que não valem nem uma pipoca
Continua após publicidade

Visual anos 1980 e piadas de tiozão: como é o novo filme do Thor

O quarto filme do deus nórdico, 'Thor: Amor e Trovão', abusa do humor escrachado e apresenta uma nova heroína, a Poderosa Thor

Por Felipe Branco Cruz Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 7 jul 2022, 09h38 - Publicado em 7 jul 2022, 08h00

Com quase 28 filmes no currículo, o Universo Cinematográfico da Marvel (mais conhecido pela sigla MCU) é tão grande e complexo que se tornou uma missão impossível um fã neófito acompanhar algum filme do estúdio sem ter conhecimento prévio de todo o resto. Thor: Amor e Trovão, em cartaz nos cinemas, é uma bem-vinda exceção. Embora seja o quarto filme-solo do herói, ele não padece desse problema. O filme alinha qualidades que o transformam em uma excelente diversão para aqueles que não querem ter uma enciclopédia a tiracolo para entender todas as referências da história: tem enredo que não se leva a sério, humor escrachado (com direito até a piadas de tiozão), direção ágil de Taika Waititi e visual oitentista com trilha sonora regada a Guns N’ Roses.

Nas duas horas de projeção, no entanto, quem rouba a cena não é o deus do trovão – e, sim, a deusa do trovão: a poderosa Thor, interpretada por Natalie Portman. A atriz é um dos grandes destaques da trama ao assumir o martelo do herói e se transformar em uma super-heroína. Trata-se, aliás, de um importante movimento da Marvel em mostrar a versão feminina de seus personagens. Outro exemplo recente é a Mulher-Hulk que em breve vai ganhar uma série no canal de streaming Disney+.

Dona de um Oscar de melhor atriz em Cisne Negro (2011), Natalie Portman se rende ao nonsense da trama como a ex-namorada de Thor. A atriz brilha em impagáveis cenas de humor ao lado de Chris Hemsworth, que envolvem até ataques de ciúmes entre o antigo martelo do herói, o Mjölnir, e seu atual machado, o Stormbreaker.

Outra boa surpresa é o ator Christian Bale. Após interpretar o Batman na trilogia O Cavaleiro das Trevas, de Christopher Nolan, ele volta aos filmes de heróis, desta vez para dar interpretar o vilão Gorr, o Carniceiro dos Deuses. O visual do personagem deixou o ator irreconhecível, mas sua atuação dá o necessário contraponto dramático em cenas sempre sombrias e em preto e branco, contrastando com o colorido exagerado de Thor.

Continua após a publicidade
Cena do filme 'Thor: Amor e Trovão'
Cena do filme ‘Thor: Amor e Trovão’ (//Divulgação)

Desde Thor: Ragnarok (2017), Chris Hemsworth já havia provado que tem talento para o humor e que não se cansa, inclusive, de ser ele próprio o alvo das piadas. O físico e a beleza do artista servem de chacota na Marvel desde a primeira aparição do herói. Desta vez, há até uma cena em que ele aparece completamente nu, fazendo com que as mulheres em cena desmaiem ao ver o físico do deus nórdico.

Já o visual oitentista teve dedo do diretor Taika Waititi. Fã assumido de Guns N’ Roses, ele incluiu quatro hits da banda no filme, além de criar toda uma estética trash de VHS bem semelhante àqueles filmes de antigamente. O resultado é uma bossa a mais na diversão. Se Thor: Amor e Trovão não é, nem de longe, o melhor filme da Marvel, ele chega bem perto de ser um dos mais divertidos.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.