Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Claudio Lottenberg Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Mestre e doutor em Oftalmologia pela Escola Paulista de Medicina (Unifesp), é presidente institucional do Instituto Coalizão Saúde e do conselho do Hospital Albert Einstein
Continua após publicidade

Aumentar o número de amigos só traz benefícios

Apesar dos desafios enfrentados pelos 30+, o nível de sociabilidade precisa ser estimulado

Por Claudio Lottenberg
Atualizado em 23 jan 2023, 10h14 - Publicado em 20 jan 2023, 18h07

Quando a gente é jovem, é muito fácil fazer amigos. Basta ter algum interesse em comum, que pode ser uma banda, um filme, um lugar que frequentamos. Mas, conforme o tempo passa, fica cada vez mais difícil encontrar novos amigos. Depois dos 30 anos, então, é possível contar nos dedos os novos amigos.

Por que isso acontece? Alguns estudos indicam que isso é resultado da nossa agenda, que parece estar sempre ocupada com outras obrigações. Aí, não sobra tempo para as novas amizades. Além disso, as novas amizades na idade madura costumam ser diferentes das dos jovens – geralmente baseadas em afinidade, como dito anteriormente. Mais velhos, somos mais seletivos e, assim, demora mais para a amizade superficial virar íntima.

É importante ressaltar a importância da amizade na saúde mental e no bem-estar das pessoas. Amigos são uma forte rede de apoio em todas as horas, seja nos momentos de necessidade ou para dividir as tarefas do dia a dia a dia. Amigos também dão sensação de proteção que, muitas vezes, não encontramos na própria família. Por isso muitos costumam dizer que amigos são a família que a gente escolhe.

Um estudo da professora associada na Faculdade de Administração Katz da Universidade de Pittsburgh, Peggy Liu, publicado em julho no Journal of Personality and Social Psychology, descobriu que as pessoas subestimam o quanto os amigos gostam de ser lembrados. Ela e sua equipe realizaram 13 experimentos, envolvendo mais de 5.900 participantes, para ter uma ideia de como as pessoas imaginam o quanto os amigos valorizam os contatos e quais tipos de interações são as mais poderosas.

Continua após a publicidade

Em todos os 13 experimentos, aqueles que iniciaram o contato subestimaram significativamente o quanto esse gesto seria apreciado. Os contatos entre as pessoas que não estavam se comunicando recentemente foram especialmente poderosos. Telefonar, enviar mensagens de texto ou um e-mail para um amigo apenas para dizer “olá” pode parecer insignificante, até mesmo uma obrigação, mas isso faz um bem enorme para quem recebe. O estudo não contemplou contatos por mídia social, mas não há motivo para acreditar que uma mensagem pelo Facebook ou pelo Instagram seja menos significativa.

Se você quiser reforçar os laços com os amigos, mande uma mensagem, telefone. Vai fazer bem a você e ao seu amigo. Se quiser aumentar o seu círculo de amizades, aqui vão algumas dicas: use a internet para encontrar grupos com os mesmos interesses que os seus; conheça você mesmo, pois, quanto mais você se conhece, maior clareza terá sobre quais pessoas somarão com você; dê uma chance aos colegas de trabalho, aproxime-se deles; finalmente, adote alguns hobbies. Quando eles são realizados em grupo, podem ajudar a encontrar novos amigos.

Aproveite que estamos no começo do ano e crie uma meta para aumentar seu círculo de amigos até dezembro. Com certeza isso só trará benefícios para a sua vida.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.