Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

CannabiZ

Por André Sollitto e Ricardo Amorim
Novidades e reflexões sobre o mercado da cannabis legal, no Brasil e no mundo
Continua após publicidade

A decisão de Barroso sobre prisão “contraproducente” por porte de maconha

Jovem detido com 116 gramas da erva teve sua prisão preventiva revogada pelo ministro, que afirma ainda não ter visto indícios de tráfico de drogas no caso

Por André Sollitto Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO 11 out 2022, 15h52

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso determinou a revogação da prisão preventiva de um homem acusado de tráfico de drogas. Segundo a revista Conjur, o caso envolve um rapaz de 21 anos, réu primário, que foi preso com cerca de 116 gramas de maconha A erva foi encontrada em sua casa durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão. A Justiça de São Paulo converteu a prisão em flagrante em preventiva.

Na visão do ministro, a prisão por uma quantidade tão pequena é contraproducente do ponto de vista da política criminal. “Ademais, o mandado de prisão não apontou elementos concretos idôneos que evidenciem a real necessidade da custódia processual. Trata-se de decisão genérica, fundada sobretudo na gravidade abstrata do tráfico de drogas. Nessas condições, não encontro no decreto de prisão preventiva a demonstração, empiricamente motivada, dos requisitos previstos no artigo 312 do Código de Processo Penal”, afirmou o ministro.

A decisão de Barroso vai de encontro a uma demanda antiga dos ativistas do setor, que criticam a forma como a legislação atual foi concebida. Embora o porte para uso pessoal não seja ilegal, não há uma determinação clara da quantidade que tipica tráfico ou consumo próprio. E isso abre uma brecha para que a lei seja aplicada de forma arbitrária.

No final de setembro, o Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCrim) elaborou uma carta aberta aos presidenciáveis abordando caminhos possíveis para enfrentar a criminalidade. Entre os tópicos descritos está o tráfico de drogas. E algumas das soluções propostas incluem a descriminalização do uso de drogas, com estabelecimento de critérios objetivos para definir o uso pessoal, estabelecer gradações ao atual tipo penal de tráfico, e retirar o tráfico de drogas, suas formas menos complexas, da caracterização como crime hediondo, autorizando a progressão de regime e a aplicação de fiança.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.