Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

SpaceX lança foguete mais poderoso do mundo, mas perde contato com a nave

Segundo teste integrado foi considerado bem-sucedido

Por Luiz Paulo Souza Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 18 nov 2023, 15h55 - Publicado em 18 nov 2023, 15h51

A SpaceX, empresa espacial de Elon Musk, fez um lançamento de testes do Starship, foguete mais poderoso do mundo. A nave deixou a base de Boca Chica, no Texas, por volta das 10h, no horário de Brasília, e conseguiu chegar com sucesso ao espaço pela primeira vez, mas empresa diz ter perdido o contato após a separação dos estágios.

O lançamento foi considerado bem-sucedido, pois a nave conseguiu subir cerca de 150 quilômetros. A separação dos dois estágios também ocorreu como planejado, mas a conexão com o segundo módulo da nave foi perdida 10 minutos após o lançamento. Os engenheiros dizem acreditar que ele se perdeu no espaço. “O que fizemos hoje fornecerá dados inestimáveis para continuar o rápido desenvolvimento da Starship”, afirmam os porta-vozes da SpaceX, em comunicado.

O principal objetivo desses ensaios é conseguir fazer o lançamento, a separação, um voo ao redor da Terra e uma posterior reentrada na atmosfera. Essa é a segunda vez que um teste integrado é realizado. O primeiro aconteceu em abril, quando, apesar de também considerado bem-sucedido, o foguete explodiu durante a separação dos dois módulos, cerca de quatro minutos após a partida.

Continua após a publicidade
SEPARAÇÃO - Nas alturas: segundo estágio perdeu o contato 10 minutos após o lançamento
SEPARAÇÃO – Nas alturas: segundo estágio perdeu o contato 10 minutos após o lançamento (SpaceX/X/Divulgação)

Com 120 metros de altura, 33 motores no módulo de propulsão e 6 na espaçonave, o foguete é o maior do mundo e foi projetado para levar humanos para a Lua e para Marte. Assim como seu antecessor, o Falcon 9, o Starship também foi construído com materiais reutilizáveis, capazes de voltar à Terra após a viagem espacial.

O sucesso do foguete é mais que aguardado, pois poderá baratear futuras viagens espaciais. Cinco décadas após o homem pisar na Lua pela última vez, vários países voltaram os seus interesses para o satélite. Estados Unidos e China, em espacial, travam uma nova corrida espacial e pretendem, além de colocar astronautas em solo lunar novamente antes do final desta década, montar bases permanentes de exploração espacial no satélite. Ambos os países também almejam levar humanos à Marte.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.