Clique e assine a partir de 9,90/mês

‘Rodas dentadas’ ajudam inseto a saltar, revela pesquisa

Cientistas decifram pela primeira vez a função de uma engrenagem, única na Natureza, presente nas ninfas do 'Issus coleoptratus'

Por Da Redação - Atualizado em 6 May 2016, 16h17 - Publicado em 13 Sep 2013, 20h17

Cientistas da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, encontraram uma estrutura similar a uma roda dentada nas patas traseiras do Issus coleoptratus, inseto que se alimenta de plantas e se movimenta por meio de pulos, como um gafanhoto. A descoberta da engrenagem, a única conhecida na Natureza, foi relatada em um artigo publicado nesta sexta-feira no periódico Science.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Interacting Gears Synchronize propulsive leg movements in a jumping insect

Onde foi divulgada: periódico Science

Continua após a publicidade

Quem fez: Malcolm Burrows e Gregory Sutton

Instituição: Universidade de Cambridge, Reino Unido

Dados de amostragem: Inseto Issus coleoptratus‘ em processo de metamorfose incompleto

Resultado: Foram descobertas engrenagens nas patas traseiras de inseto Issus coleoptratus. Elas servem para sincronizar o movimento do salto

Continua após a publicidade

Segundo os pesquisadores, as peças ajudam a sincronizar os movimentos das patas do inseto durante os saltos. Funciona assim: ao se preparar para saltar, os dentes da engrenagem de uma pata se encaixam nos espaços entre os dentes da engrenagem presente na outra pata, impulsionando o pulo.

De acordo com informações da Science, as ‘rodas dentadas’ já haviam sido descritas em artigo de 1957, mas não se conhecia sua função.

Desenvolvimento – Os pesquisadores explicam que a engrenagem está presente apenas nas ninfas, forma intermediária entre a larva e o inseto adulto. Neste, a fricção entre as patas cumpre o papel antes desempenhado pelas engrenagens.

Segundo os cientistas, os insetos adultos costumam se livrar de suas engrenagens por questões de sobrevivência: se um dos dentes se quebrar, sua capacidade de se locomover pode ser comprometida. O mesmo perigo não existe para os insetos quando ainda são ninfas, já que nesta fase o animal troca diversas vezes de exoesqueleto e, assim, pode corrigir qualquer dano.

Publicidade