Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Pesquisadores descobrem novo dinossauro nos Estados Unidos

O carnívoro "Siats meekerorum" viveu há 98 milhões de anos e foi um dos maiores predadores de seu tempo

Pesquisadores americanos descobriram uma nova espécie de dinossauro. O carnívoro Siats meekerorum viveu há 98 milhões de anos e foi um dos maiores predadores de seu tempo – impedindo que o famoso tiranossauro assumisse esse papel.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Neovenatorid theropods are apex predators in the Late Cretaceous of North America

Onde foi divulgada: periódico Nature Communications

Quem fez: Lindsay E. Zanno e Peter J. Makovicky

Instituição: Museu de História Natural de Chicago, EUA

Resultado: Os pesquisadores descobriram uma nova espécie de dinossauro, o carnívoro Siats meekerorum, que viveu há 98 milhões de anos e foi um dos maiores predadores de seu tempo.

O Siats está entre os três maiores dinossauros encontrados na América do Norte. Ele faz parte dos carcharodontossauros, grupo de carnívoros gigantes que inclui alguns dos maiores predadores já descobertos.

O esqueleto parcial do animal foi encontrado na nas montanhas do estado americano de Utah, em 2008. Nesta sexta-feira, Lindsay Zanno e Peter Makovicky, pesquisadores do Museu de História Natural de Chicago e responsáveis pela descoberta, publicaram um artigo descrevendo o novo dinossauro.

Leia também:

Cientistas acham nova espécie de dinossauro com chifres

Estudante do ensino médio descobre fóssil raro de filhote de dinossauro

Grande porte – Segundo os autores, o animal deveria ter cerca de nove metros de comprimento e pesar quatro toneladas – e ainda era jovem. Na idade adulta, estima-se que ele empataria em segundo lugar com o Acrocantossauro (outro tipo de carcharodontossauro) como maior predador da América do Norte, perdendo apenas para o Tiranossauro rex – que surgiu 30 milhões de anos mais tarde.

O Siats viveu no território que hoje corresponde a Utah durante o Cretáceo Superior, período que vai de 100 a 66 milhões de anos atrás. Antes dessa descoberta, os pesquisadores não sabiam qual animal seria o maior carnívoro da América do Norte nesse período. O novo dinossauro preenche uma lacuna de 30 milhões de anos em registros fósseis. Durante esse tempo, o papel de principal predador passou dos carcharodontossauros para os tiranossauros.

A falta de registros fósseis causava incerteza entre os paleontólogos sobre quando essa mudança teria ocorrido. Não se sabia ainda se os tiranossauros tinham superado os carcharodontossauros na competição, ou se simplesmente haviam assumido o papel principal após a extinção de seus concorrentes. O fato de o Siats ser um animal de grande porte levou os pesquisadores a apostarem na segunda hipótese. Para eles, os primeiros tiranossauros, menores, eram subjugados pelos carcharodontossauros, e só evoluíram para grandes predadores, como o Tiranossauro rex, após sua extinção.

Os pesquisadores afirmam terem descoberto mais duas novas espécies na mesma região, que ainda precisam ser estudadas pela equipe.