Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Pesquisa: Vacinação no Brasil evitou pelo menos 43 mil mortes em 2021

Trabalho corrobora estudos como o de Serrana, em São Paulo, onde a imunização de toda a população fez cair em 95% as mortes por Covid-19

Por Sabrina Brito 18 jun 2021, 17h07

Um novo estudo, coordenado por pesquisadores da Universidade Federal de Pelotas e da Universidade Harvard (EUA), revelou que, no Brasil, a imunização contra a Covid-19 evitou a morte de mais de 43 mil pessoas só em 2021.

Segundo o levantamento, no mês de janeiro, as mortes causadas pelo coronavírus entre pessoas de 70 anos ou mais representavam 25% do total. Em maio, para indivíduos entre 70 e 79 anos, o número caiu para 16%; para os maiores de 80, a queda foi ainda maior, para 12,4%. O estudo defende que, se não fosse pela vacinação, o Brasil já teria ultrapassado as 530 mil mortes por Covid-19.

A pesquisa serve como prova da eficiência dos imunizantes CoronaVac e Astrazeneca, que são aplicados em maior quantidade no país. De acordo com o estudo, 94% dos idosos de 70 anos ou mais já receberam ao menos a primeira dose da vacina.

Os resultados corroboram as descobertas de outros experimentos, como aquele realizado na cidade paulista de Serrana, que comprovou a capacidade da CoronaVac de reduzir em até 86% das internações e em 95% as mortes decorrentes da infecção pelo coronavírus. O levantamento deve ser atualizado em alguns meses, abrangendo a análise dos impactos da imunização ao longo de mais tempo.

Continua após a publicidade
Publicidade