Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Mineral ‘lunar’ é encontrado na Terra

Um raro mineral chamado tranquillitita, o mesmo tipo trazido da Lua pelos astronautas das missões Apolo há 40 anos, foi encontrado na Austrália

Por Da Redação Atualizado em 6 Maio 2016, 16h49 - Publicado em 5 jan 2012, 17h45

O último dos três minerais trazidos da Lua pelos astronautas das missões Apollo da Nasa, a agência espacial americana, foi encontrado na Terra. A tranquillitita se junta agora aos minerais armalcolita e ao piroxferroíta. Ao identificar os minerais, em 1969, os cientistas acreditavam que eles não existiam no nosso planeta. Nos anos seguintes, porém, dois deles foram encontrados. Quarenta anos depois, a tranquillitita foi encontrada na Austrália. Os cientistas acreditam que deve haver mais do mineral, composto por ferro, oxigênio, silício, zircônio, titânio e outros elementos, em outros lugares do mundo.

Saiba mais

PROJETO APOLLO

Foi um conjunto de missões coordenadas pela Nasa entre 1961 e 1972 com o objetivo de estudar a Lua e levar o homem até o satélite. Em 20 de julho de 1969, a Apollo 11, quinta missão tripulada do projeto, pousou em solo lunar com os astronautas Neil Armstrong, Edwin ‘Buzz’ Aldrin e Michael Collins. Ao vivo, pela TV, milhões de pessoas acompanharam o passeio de Armstrong e Aldrin pelo solo lunar.

Em 1972, por falta de verbas e interesse, a Apollo 17 encerrou o projeto. As naves foram aposentadas em 1975 para dar lugar aos ônibus espaciais, que voariam pela primeira vez em 1981. Em 2011, eles também foram aposentados.

Continua após a publicidade

O mineral, que é avermelhado e tem a forma de minúsculas agulhas, foi coletado há dois anos, por acidente. O tempo entre a descoberta e o anúncio serviu para estudar o raro mineral e confirmar que se trata do mesmo encontrado no nosso satélite natural. Um artigo sobre a descoberta foi publicado na revista Geology.

A tranquillitita deve seu nome ao Mar da Tranquilidade (Mare Tranquillitatis em latin), região da Lua onde as missões Apollo pousaram. Agora, o mineral já foi encontrado em seis pontos da Austrália ocidental, em rochas como a dolerita, conhecida popularmente como granito negro.

“De fato, suspeitamos que a tranquillitita logo será reconhecida em rochas similares à dolerita no mundo todo”, afirmou Birger Rasmussen, cientista que liderou a pesquisa. “É incrível que a tranquillitita exista há todo esse tempo em rochas na Terra e que tenham se passado 40 anos desde que foi encontrado na Lua para que fosse detectada aqui”, avaliou ainda.

O tranquillitita aparece em quantidades minúsculas e não possui valor econômico. Teste preliminares indicam que as amostras encontradas na Austrália têm 1 bilhão de anos de idade.

(Com Agência EFE)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)