Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Falta de gravidade debilita sistema imunológico de astronautas

Fragilidade do sistema imunológico é o motivo pelo qual astronautas precisam ficar de quarentena antes de decolarem para o espaço

Por Da Redação Atualizado em 6 Maio 2016, 16h22 - Publicado em 27 fev 2013, 15h51

As perturbações do sistema imunológico dos astronautas nos voos espaciais, um problema identificado desde as primeiras missões, podem ser atribuídas à falta de gravidade. É o que aponta uma pesquisa realizada por cientistas da França e de Luxemburgo e publicada na última edição do The FASEB Journal, publicação da Federação das Sociedades Americanas para Biologia Experimental.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Gravity changes during animal development affect IgM heavy-chain transcription and probably lymphopoiesis

Onde foi divulgada: The FASEB Journal

Quem fez: Cécile Huin-Schohn, Nathan Guéguinou, Véronique Schenten, Matthieu Bascove, Guillemette Gauquelin Koch, Sarah Baatout, Eric Tschirhart e Jean-Pol Frippiat

Instituição: Faculdade de Mecidina da Universidade de Lorraine

Dados de amostragem: ovos de pleurodeles, espécie de salamandra

Continua após a publicidade

Resultado: Ao fim do estudo, os cientistas constataram que a falta de gravidade influencia quantitativa e qualitativamente na produção de anticorpos

O levantamento teve início em 2005, com o objetivo de explicar o motivo pelo qual o sistema imunológico dos astronautas fica debilitado depois de missões espaciais. “Em um voo espacial há muitos fatores de estresse: a microgravidade, a hipergravidade durante a decolagem, choques térmicos, perturbações vinculadas à alternância de dia e noite”, afirma o professor Jean-Pol Frippiat, da Universidade de Lorraine, no leste da França, que coordenou as pesquisas.

Para descobrir o fator determinante desse dano, observado desde as primeiras missões lunares americanas Apollo, nos anos de 1960 e 1970, os cientistas enviaram à Estação Espacial Internacional (ISS) ovos de pleurodeles, uma espécie de salamandra. Ao fim do estudo, foi constatado que apenas a falta de gravidade tem influência nos anticorpos dos animais, de forma quantitativa e qualitativa. “Alguns anticorpos aumentam em número, outros diminuem”, diz Frippiat.

Leia também:

Viagens ao espaço podem acelerar Alzheimer, diz estudo

A fragilidade do sistema imunológico é a razão pela qual os cientistas colocam os astronautas em quarentena antes da decolagem. Jean-Pol Frippiat advertiu ainda para os riscos à saúde representados pelas viagens longas. “Atualmente, as missões à ISS são de curta ou média duração. Por exemplo, para uma viagem de 10 dias precisamos de 15 dias depois do retorno para que o sistema imunológico se normalize. Mas não conhecemos os efeitos de uma viagem muito longa ao espaço”, diz.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade